jan 09, 2017 | Por Mandy em Estilo, Looks, Red Carpet

6 ideias copiáveis direto do Globo de Ouro

A temporada de premiações começou e, junto com ela, os tapetes vermelhos. Hoje foi dia de Globo de Ouro e já podemos babar naquelas produções lindas que nunca poderemos usar por motivos de: falta de ocasião e de $verba$! rs… Mas isso não quer dizer que falta inspiração para o próximo casamento ou festa de formatura. Reparei em alguns detalhes dos looks que passaram por lá. São fáceis de copiar, olha só:

1. A manga comprida + bracelete da Kristen Bell: O vestido e o decote eram maravilhosos, mas eu reparei no truque de styling de colocar o bracelete por cima da manga. Acho mais legal ainda quando usado nos 2 pulsos.

2. A ‘flash tattoo‘ da Tracee Ellis Ross: Demorei pra ver que esses anéis não eram, de fato, flash tattoo, rs… Mas não é que daria um uso bacana?! Quem sabe não é uma ideia ressuscitar aquela cartela que você não usa mais?! 😆

3. O lápis de olho verde escuro da Mandy Moore: Um belo exemplo de como trocar um lápis preto por um colorido pode fazer diferença na maquiagem. Posso ter sido totalmente influenciada pela combinação com a cor do olho dela, mas que ficou lindo, ficou!

4. A choker da Michelle Williams: Aquela gargantilha que você usa para sair à noite no final de semana pode ficar ótima numa produção de festa mais arrumada. Aliás, acho que no caso da Michelle Williams, a choker fez A diferença. E, se bobear, é só uma fitinha de veludo amarrada no pescoço no maior estilo Cinderella.

5. O rabo de cavalo com fita da Sienna Miller: Adoro que a Sienna Miller sempre aparece com um detalhe diferente e despretensioso nas premiações. Amo essas combinações (Met Gala 2013, nunca te esquecerei!). Esse rabo de cavalo altinho, meio desarrumado, com uma fita preta foi uma das coisas mais simples desse tapete vermelho e que eu mais gostei.

6. O “não precisa ir de vestido” da Evan Rachael Wood, Octavia Spencer e Kathryn Hahn: Adoro quem quebra o ‘protocolo’ e não usa vestido nas premiações. As três atrizes mostraram que vestidos longos não precisam ser uma exigência e que ternos e smokings podem ser usados no tapete vermelho. Evan Rachel Wood contou que seu smoking (Altuzarra ❤️) foi uma homenagem a Marlene Dietrich e David Bowie, que faria 70 anos hoje. Eu amei o look da Kathryn Hahn e usaria exatamente igual – já assistiram Capitão Fantástico?! É maravilhoso!

O Globo de Ouro já dá uma ideia do que está por vir nas próximas premiações e, principalmente, no Oscar! Continuarei de olho… 👀

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jan 04, 2017 | Por Mandy em Dicas, Estilo, News, Tendências

Rider, um slider acessível e direto dos anos 80!

Os sliders voltaram a ser desejo com toda essa onda de anos 90, com o retorno das Adilettes e da pegada de moda mais esportiva no dia a dia. Só que, muitos desses modelos não são tão acessíveis assim para um chinelo – é um chinelo, convenhamos! Mas eis que surge, na verdade ressurge, uma versão nacional que custa exatos R$79,90.

Vai me dizer que você não se lembra dos modelos de Rider que você usava nos anos 80 e 90?! Ou daqueles do seu pai e dos seus tios?! A Rider nasceu em 1986 (junto comigo, rs!) e tinha parado de fabricar os chinelos em 2009 mas, para comemorar seus 30 anos, eles resgataram os shape sliders que tanto fizeram sucesso décadas atrás.

Os modelos começam em R$79,90 e podem ser encontrados nas lojas: Void, Homegrown, Cartel, Storvo e Guadalupe (o branco com marinho também vende na Dafiti)! Eu estava na Void de Botafogo no último final de semana e dei de cara com os chinelos nas versões pastel. São tão lindinhos que até fotografei. 😍

Tem também uma versão especial em parceria com a SneakerBR. Curti essa pegada bem anos 80, me identifiquei com o ‘1986’, rs…

Além do relançamento dos chinelos, a Rider está com todo um novo posicionamento de marca e lançou um projeto super bacana chamado “Jornada Fazedores Lifeaholic”, pensado no comportamento integrado e conectado dos jovens. O projeto, que começou ano passado e termina agora em Janeiro, reuniu 4 “jams” – vivências colaborativas – dos representantes da marca com os “fazedores”, jovens escolhidos por meio das redes sociais e do mapeamento de porta-vozes de movimentos culturais e sociais. A ideia é que o projeto dê voz a diferentes grupos e proporcione um espaço de cocriação, dando ferramentas para que os fazedores elaborem seus próprios projetos e participem da criação de produtos.

Super bacana, né?! Adoro ver marcas apostando no colaborativo. Esse é mesmo o futuro, não tem como negar. Dá para conferir tudo sobre o projeto aqui. ;)

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
Página 3 de 1.58312345...Última »
Voltar para o topo!