fev 28, 2018 | Por Mandy em #CarnaStarving, Rio de Janeiro

Mais um carnaval especial pra conta!

Antes tarde do que nunca… O carnaval acabou (oficialmente) há umas duas semanas e eu confesso que tirei uma mini-férias depois, rs… Não viajei nem nada, mas aproveitei para descansar bastante, já que o carnaval foi MUITO agitado por aqui.

Esse ano teve um gosto especial.#CarnaStarving cresceu mais do que eu poderia imaginar e isso foi realmente MUITO incrível por ser um novo momento do blog, depois de mais de 8 anos! Ver um grupo de Facebook chegar, em menos de 3 meses, a mais de 4 mil pessoas engajadas e loucas por todo o universo carnavalesco foi demais! Encontrar várias de vocês no meio dos blocos foi uma das melhores coisas – e ainda rolou encontrinho (o primeiro de muitos outros – sim, porque ainda teve um segundo depois desse, rs)!


encontro offline #CarnaStarving!

Também fiz trabalhos com marcas incríveis que embarcaram no carnaval comigo em projetos muito bacanas. Super obrigada Maybelline, NYX, L’Óreal, Vizcaya, Discover, Revlon, Dafiti e Ipanema! <3

Ah, e teve matéria minha no site da revista Glamour e post sobre carnaval e autoestima no F-utilidades – sem contar menções no Dia de Beauté, Depois dos Quinze e Bianca Andrade. (momento de fomentar o clipping pessoal, rs)

Além de tudo isso, ainda foi o primeiro carnaval em que eu toquei. Pude experimentar os dois lados: como música e foliã. E essa foi uma das melhores coisas que eu fiz pra mim nos últimos anos. Uma sensação de pertencimento e de liberdade sem igual. Um verdadeiro boost de autoestima! Sem contas as pessoas maravilhosas que conheci no meio do caminho.

E, mais uma vez, compartilho um texto do amigo Raphael Pavan, que todo ano consegue traduzir em belas palavras o que o carnaval de rua do Rio representa! <3

“Era uma vez, um povo que depois da folia se recusou a voltar ao normal. Porque entendeu que carnaval não é um feriado. É um estilo de vida.

Gente que sabe que brincar de carnaval é coisa séria.
Que tá ligado que esse tal de esquema 4–4–2 é tática de quem não sabe jogar. E que decidiu colocar a rua de volta no carnaval de rua porque ele sempre foi e sempre será muito mais que o eixo Jobi-Belmonte.

Essas mesmas pessoas descobriram que só o glitter expulsa o demônio das pessoas. Ou coloca. E hoje já nem se perguntam mais como aquela purpurina foi parar ali. Só aceitam.

Um povo que aprendeu que a menor distância entre dois pontos é um cortejo, o melhor meio de transporte do Rio. Dotado do poder de fazer andar da Candelária até o Arpoador num domingo de sol passar rápido. E correr piscando da Praça da Bandeira até o Largo do Machado de madrugada ser apoteótico.

Uma galera que se não for portando o kit doleira, glitter e catuaba nem sai de casa. E que desde que testemunharam a pororoca do Boitolo ou o carnaval invadir o aeroporto nunca mais foram os mesmos.

Que não compra fantasia, faz. E que deus me livre de repetir alguma. Gente que tá desde dezembro indo no centro com listinha de compra pra fazer adereço, gasta dias fazendo estandarte. Tudo pra colorir a festa. E que nessa época do ano transforma a casa num barracão de dar inveja.

Uma galera que desistiu de domir e comer direito por 5 dias. Que sobe na perna de pau já quase sem perna. Que sopra já quase sem ar. E que se chove aguenta firme porque a gota é serena.

Um povo que começa bloco em vagão de metrô. Acorda 6 da manhã pra cortejar em Caxias e faz a Central parecer a selva. Que entende que seus blocos favoritos vão crescer, mas que outros vão surgir e que o carnaval sempre se reinventa.

Um pessoal que já virou o especialista em folia, pós graduado em curadoria de bloco com grupo de 300 pessoas. Que haja o que houver sabe que vai se encontrar na Oca, que junto com o Barão e Jambuzada sempre vão estar ali pra eles. E que quando veem as Trepadeiras no bloco sabem que tão no lugar certo.

Que no cortejo avisa do buraco, do degrau, do pitoco, ajuda a puxar carrinho de ambulante e ainda faz corda humana, a demonstração de afeto e entrega mais linda do carnaval carioca.

Gente que ensaia de roupa social no aterro. Que sabe com quantos “não dá eu tenho ensaio” se faz um carnaval. E sabe que não é sobre ter futuro na música mas sobre se divertir no presente.

Um povo que não mede esforços pra fazer uma festa linda de gente pra gente. Que erra tentando acertar porque é gente. E que merece compreensão e empatia de volta porque essa festa só acontece assim.

Gente que tem certeza que apesar do Crivella, Pezão, Temer e companhia amanhã há de ser um novo dia. Porque nada deve parecer impossível de mudar.

A essa altura você já sabe que quem é enterrado na quarta sempre ressuscita. Porque todo carnaval tem o seu… crack. E ele nunca tem fim. Afinal, existe vida pós carnaval, mas ela é muito melhor quando se transforma em carnaval.

Se você já começou a se sentir parte desse povo, seja muito bem vindo. Desculpe o transtorno. Volte sempre e não repara a bagunça. É de propósito. A gente gosta assim.

Pode ir se acostumando, o carnaval carioca promete e cumpre. Quem ama isso tudo como a gente ama, sempre vai ser correspondido.

E sabemos muito bem onde o encontrar o ano inteiro porque temos certeza absoluta que essa fantasia é sim eterna.”

Para terminar, mas não menos importante, vale lembrar que, pra quem quer, o carnaval dura o ano todo e o #CarnaStarving segue firme e forte por aqui, no Instagram e no grupo do Facebook. As dicas de achados, glitter, blocos fora de época, oficinas de música e dança, eventos, etc. continuam! Afinal, daqui a pouco já tem festa junina, julina, copa (!), Honk, ensaios abertos e quando a gente menos esperar: PÁ!… Já é carnaval de novo! rs…

Beijos de glitter,
Mandy

Você também pode gostar
Comentários
  1. Ninna • mar 06, 2018 - 11:19

    Oi!
    Eu curtia muito o carnaval, mas de uns anos pra cá, fiquei meio sem vontade de sair pra curtir e preciso te confessar que o seu blog e o grupo me fizeram voltar a curtir. Depois de 5 anos voltei pro bloquinhos do RJ e isso tem a ver com você. Obrigada por me devolver esse gosto pela folia! Beijão!

    • Mandy • mar 12, 2018 - 18:16

      Ahhh, Ninna! Você não sabe como eu fico feliz em ler isso, de verdade! <3
      Carnaval é muito amor!
      Beijos de glitter pra você!

Voltar para o topo!