out 18, 2013 | Por Mandy em Beauté, Destaques, Dicas

SOBRE CIRURGIA PLÁSTICA – REDUÇÃO DE SEIOS!

Não sei por que eu (Mandy) nunca fiz um post sobre esse assunto aqui no blog. Estava pensando sobre isso há algumas semanas e resolvi compartilhar a minha experiência super positiva, que pode encorajar outras meninas que estejam passando pelo que eu passei. Há mais de 2 anos, finalmente decidi fazer a operação de redução de seios. Vestia sutiã 48/50, o que é muito, ainda mais considerando meus 1,56m. Sempre tive peito grande e isso me incomodava muito… muito! Só quem tem sabe como é: dor nas costas, frustração para encontrar roupa (principalmente biquíni), achar que nada veste bem, aparentar mais cheinha do que realmente é, entre outras muitas questões. Nossa, já sai chorando de shopping algumas vezes por não conseguir encontrar um biquíni que ficasse ok (ok, porque bom mesmo não ia ficar). Só podia comprar o que encontrava e, muitas vezes, não era o modelo ideal ou a estampa que eu queria. Mas fazer o quê? Não tinha opção. Pode parecer um problema pequeno para quem vê de fora, mas é uma frustração diária imensa. Sem contar que, toda vez que ia à praia, tinha que colocar blusa em uma determinada hora para poder afrouxar o nó do biquíni prendendo atrás da nuca. O peso acabava fazendo com que a alça marcasse e machucasse o pescoço. Enfim, esses são apenas alguns dos exemplos de como os seio grande pode realmente ser incômodo para a saúde e para a autoestima.

Já tinha pensado em operar em 2008, mas acabei desistindo por medo. Medo de como ia ficar, se eu ia gostar, se não ia me arrepender, medo da anestesia geral, etc. Hoje em dia me arrependo de não ter feito naquela época. Nossa, teria aproveitado muito mais! Finalmente, em Abril de 2011, resolvi fazer e posso dizer: foi a melhor coisa que fiz para mim em toda a minha vida! Sério. Sou outra pessoa pós-operação. Nada pode pagar o preço do sentimento de quando me vi pela primeira vez de peitos novos e de como a minha vida ficou muito melhor depois. Sem contar que, durante todo o processo até uns 6 meses depois da cirurgia, acabei emagrecendo uns 10 quilos. A minha médica não pediu para que eu perdesse peso antes de operar (alguns médicos exigem, caso a pessoa esteja acima do peso). A única coisa que ela me recomendou, foi que eu não deveria engordar, senão perderia todo o trabalho que foi feito e poderia acabar deformando a mama.

post-plastica-cirurgia-reducao-mama-seios-peito-antes-depois-caso-depoimento-medico-barbara-machado-pitanguy-blog

Antes de operar, marquei consulta com 3 cirurgiões para decidir com quem iria fazer e acabei escolhendo a mesma médica que fui em 2008, a Dra. Bárbara Machado. Os outros dois eram homens e, posso estar errada, mas no meu caso, me senti muito mais segura em fazer com ela. Olhei fotos do pós-operatório dos 3 e os resultados da Dra. Bárbara foram os que mais me agradaram. Era o tipo que resultado que eu queria para mim. Acertei muito na decisão e posso dizer que a Dra. Bárbara foi excelente em todos os aspectos. Ela me deixou muito tranquila e não me escondeu nada. Disse que a cicatrização vai de pessoa para pessoa, que não tem como prever como a mama realmente vai ficar, me contou como funciona a operação, enfim, tudo. Tive toda a assistência dela e de sua equipe durante todo o processo pré e pós, que durou ao todo uns 6 meses (contando a última vez que fui no consultório dela). Além disso, ela é uma ótima pessoa! Ficou super emocionada quando eu a agradeci e disse que ela mudou a minha vida. Adorava conversar com ela.

Existe a opção de tirar um pouco mais e colocar silicone para o resultado durar mais tempo. Acabei optando por não colocar e não me arrependo. Quem sabe no futuro? rs O tamanho que escolhi foi 44. Ficou super natural e, por enquanto, não vejo a necessidade de prótese. Dá para notar nas fotos dos looks acima. Estava sem sutiã no look da esquerda porque esse vestido tem um mega decote das costas.

Sobre o pós-operatório, é chatinho mesmo, mas confesso que esperava que fosse bem pior. Tem que ficar algumas semanas sem poder levantar os braços e nem carregar peso, tomar cuidado para não deixar as pessoas esbarrarem em você, precisa de ajuda para tomar banho e trocar de roupa (e só usar blusa de botão na frente!), fazer curativos frequentemente, cuidar super bem e tal, mas não é nada de outro mundo. Acho que a pior parte para mim foi ter que dormir de barriga para cima durante todos esses meses. No início era bem chato e tinha que colocar travesseiros dos lados para evitar de me virar durante a noite, mas depois acostuma. Eu tenho uma recuperação rápida e em menos de 2 semanas já tinha voltado pro escritório onde trabalhava na época. Com algumas limitações, claro, mas a rotina foi voltando ao normal tranquilamente. Ia toda semana no consultório da Dra. Bárbara para acompanhar a cicatrização, que foi ótima! A maioria dos pontos são internos, com uma linha transparente, que não aparece sob a pele e depois de um tempo o corpo acaba absorvendo e eliminando. Os poucos pontos superficiais foram retirados em duas semanas. Depois disso, usei umas placas de silicone na cicatriz durante quase 6 meses. Não usei nenhuma pomada, só as placas junto com um spray chamado Kelo-cote. A única coisa que fiz depois foi uma micropigmentação em cima da cicatriz. Na verdade, nem precisaria, mas como quis um resultado perfeito, acabei fazendo. Descobri que essa técnica não é muito comum e que muitos médicos não recomendam, não sei por que. Conversei com algumas meninas que reduziram e nenhuma delas sabia do que se tratava. Achei um ótimo “acabamento” para o resultado final. Funciona como uma tatuagem superficial, que deixa a cicatriz no mesmo tom da sua pele. A minha não deu nenhuma quelóide, ficou do mesmo nível, só que um pouquinho mais clara. Então, a micropigmentação foi perfeita. Juro, não dá para notar que eu fiz redução. Já mostrei o “material” para as amigas e elas ficaram impressionadas! #exibida rs E olhem a coincidência, a profissional que a Dra. Bárbara me indicou para a micropigmentação vem a ser a mãe da Mônica, a designer de sobrancelhas da Gabi! rs A Gabi sempre fala dela aqui no blog e no insta. Até eu, minha mãe e a passamos a fazer com ela (e algumas leitoras também!). A Adelaide é ótima! Ela faz todo o tipo de micropigmentação: reparatórias, em cicatrizes e até na sobrancelha (quero muito fazer!).

A quem interessar possa, a Dra. Bárbara atende no Leblon. Ela faz parte da equipe do Pitanguy, mas sei que também atende no SUS. Eu tive opção de fazer em 3 clínicas: na do Pitanguy, em uma na Barra e no Hospital da Plástica, em Botafogo. Acabei fazendo nessa última porque era um pouco mais barata do que no Pitanguy e possui CTI, o que achei bom em termos de segurança. Os quartos são enormes, coube toda a família que foi me visitar, rs. Fiquei uma noite só e no dia seguinte já estava em casa. Ah, outra opção de serviço, é a contratação de uma médica clínica para acompanhar a operação. A Dra. Bárbara me disse que ela nunca precisou entrar em ação, mas é sempre bom ter alguém acompanhando, né? rs Afinal, é uma cirurgia com anestesia geral e muito mais invasiva do que uma colocação de silicone, por exemplo. Essa médica é a Dra. Rita Azevedo Paiva e foi com ela também que fiz todos os exames pré-operatórios.

Hoje, eu super apoio todas as amigas que têm vontade de fazer. Espero que esse post incentive outras meninas também. Acho que, se na época que acabei desistindo de fazer tivesse tanto acesso à informação como nós temos hoje em dia, eu teria feito. Acredito que esse tipo de depoimento pode ser um empurrãozinho que falta ou uma sementinha plantada. ;)

Quem tiver alguma experiência de cirurgia plástica, comenta aqui, por favor! Depoimentos são sempre incentivadores!

Gostaram?

Beijos,

Mandy e Gabi

Você também pode gostar
Comentários