jul 12, 2015 | Por Mandy em Destaques, Séries, TV da Gabi

#TVDAGABI :: SENSE8

sense8-netflix-series-sense8-reactions-twitter

Sense8 é uma série que certamente você já ouviu falar. Eu já venho observando as pessoas comentando há um tempo, mas tentei esperar um pouquinho, porque eu sabia que seria algo avassalador para a minha rotina, rs. Esperei apenas um mês. Sou fraca. E eu tinha razão: vi tudo em 3 dias. São só 12 episódios e isso não se faz… Não preciso nem dizer que eu gostei. Difícil mesmo vai ser explicar o que é esta série, rs. Para minha ajuda, eu trouxe o trailer:

 

A série é uma produção original Netflix criada pelos irmãos Wachowski, os mesmos que desenvolveram a trilogia Matrix. Para não dizer que eu nunca assisti a uma série de sci-fi, eu vi Lost até a terceira temporada. Acho que só. Realmente não é algo que eu curta muito… Mas me surpreendi com Sense8! Tem algo diferente e especial neste enredo.

netflix-s-sense8-tvdagabi-blog-starving-serie2

Sense8 conta a história de 8 pessoas em diferentes cantos do mundo que passam a compartilhar uma conexão especial. Essas pessoas começam a compartilhar sentimentos, espaços e até habilidades. Poderia apenas ser uma série de drama, mas é também de ação. Se você me perguntar sobre o quê é esta série, eu vou responder que é sobre empatia. Não só a parcela telepática, mas é um roteiro que mostra como seria se você estivesse no lugar de outra pessoa.

sense8-netflix-tvdagabi-serie

Acho que alguém ouviu o grito de “mais amor, por favor” e tirou esta série do papel. Tem muito amor! Mas nem por isso é algo politicamente correto. Na verdade, é até contraditória a quantidade de cenas de ação e violência que existem em Sense8. Um dos personagens é um gângster. Outra luta artes marciais como o Bruce Lee. Um rapaz é policial. Já o resto adora se meter em problema… Aí já viu:

netflix-s-sense8-tvdagabi-blog-starving-serie1

Uma coisa que você tem que saber a respeito antes mesmo de começar: tem que ter a cabeça aberta. Uma das principais personagens é uma trans lésbica. Um dos homens é gay também. Não que isso vá interferir negativamente, aliás, pelo contrário, acredito que enriquece muito. Inclusive, isso faz parte do enredo. As cenas de nudez e de violência podem ser um bocado explícitas. Considere isso também. No meu ponto de vista, o “realismo” só torna a série melhor.

nomi sense8

Claro que nem tudo é perfeito. Em alguns momentos a execução e o argumento deixam a desejar, não nego. Ao mesmo tempo tenho que bater palmas para a edição. Algumas cenas rodam simultâneamente em mais de um lugar do mundo. Os caras que tiveram que juntar isso tudo devem estar vesgos e com enxaqueca vitalícia, rs. Acho que esta é uma série que metade vai amar e outra metade vai odiar. Tem que conseguir se envolver facilmente e ter a tal empatia.

Onde tem? 
Netflix.

Nota:
★★★★★★★★★★ 8/10

Alguém já viu? O que acharam?

Beijos,
Gabi

Você também pode gostar
Comentários
  1. Val • jul 13, 2015 - 09:39

    A cena que mais amo: todos cantando junto “What’s up” a letra em total sintonia com a vida deles!

  2. Dani • jul 13, 2015 - 11:24

    Quero muito ver! Todo mundo fala bem!

  3. Ana Carolina • jul 13, 2015 - 12:36

    Adorei! Assisti tudo em um fds! Li uma crítica muito legal a respeito, porque foi mais ou menos o que eu senti. Era da Patrícia Kogut (salvo engano) e ela odiou o primeiro episódio, que, de fato, é um pouco arrastado. Mas ela deu uma chance pra série e do segundo episódio em diante se apaixonou.

  4. Vivian • jul 13, 2015 - 13:13

    Eu ameiiiii.. Assisti em 3 dias também.
    Não conseguia parar de ver.

  5. Marisa • jul 13, 2015 - 14:39

    Também adorei a série, achei diferente do que se vê por aí atualmente.

  6. Sendy • jul 15, 2015 - 17:43

    Eu amei a série, ainda estou envolvida com os personagens, a cena do Tito e da Sun de TPM é delicada e engraçada ao mesmo tempo, ver como cada personagem muda é impressionante.

  7. […] • Sense8 :: Uma das melhores novidades do ano para mim. Acho que é um série tipo 8 ou 80. Muita gente ama, mas há quem não goste. Ainda assim é uma daquelas que precisamos conhecer. Tem post sobre ela aqui. […]

Voltar para o topo!