ago 15, 2017 | Por Mandy em Por Aí

#StarvingPorAi na Colômbia: Dicas do que fazer em Bogotá

Semana passada voltei de uma viagem que foi decidida logo após meus dias no Peru. Fui para a Colômbia numa outra viagem em família deliciosa e estou amando conhecer mais países da América do Sul. Temos tantos lugares incríveis pra explorar perto da gente! Bom, o primeiro destino no país foi Bogotá. Ficamos 2 dias na cidade, mas deu para conhecer bastante coisa. Aproveitei e juntei todas as dicas neste post. Vamos lá:

CATEDRAL DE SAL: É uma imensa catedral construída dentro das minas de sal de Zipaquirá a 180 metros abaixo do solo. A mina começou a ser explorada pelos índios durante o período pré-hispânico e a exploração acontece até hoje, mas por outras galerias e com uma tecnologia bem avançada. Cerca de 4 toneladas de sal são extraídas por dia e a estimativa é que as minas se sustentem por mais 500 anos! É um mundo lá embaixo, com vários corredores, túneis, galerias, capelas, lojas e até um SPA, mas os acessos são seguros, bem sinalizados e iluminados, inclusive com acesso a cadeirantes. Além do tour da igreja, também é possível pagar um valor extra e fazer o tour pelas minas – demora cerca de 40 minutos.

Esta Catedral de Sal ganhou o título de Primeira Maravilha da Colômbia e é um dos principais pontos turísticos do país.

Endereço: Parque De La Sal, Zipaquirá, Cundinamarca.
Como chegar:
Contratamos um motorista que o hotel indicou e custou U$68 por 4 horas de passeio. 
preço:
50 mil pesos para estrangeiros, com tour guiado, entrada ao cinema e show de luzes.
pacote extra para o tour dentro da mina: 38 mil pesos e são 40 minutos de tour.


foi chegando no museu que presenciamos esse arco-íris maravilhoso! 😍

MUSEU BOTERO: Outro ponto alto da cidade é o Museu Botero, com 123 obras do artista, entre pinturas, desenhos e esculturas, todas doadas inteiramente pelo figurativista colombiano. Além disso, também é possível encontrar mais de 85 obras de outros artistas, como Miró e Picasso. O local do museu é uma beleza à parte. Localizado no bairro Candelária, a poucos metros da Plaza de Bolívar e da Catedral de Bogotá, o local que antes era o Palácio do Arcebispo abriga, desde 2.000, as obras do artista.

Endereço: Cl. 11 #4-41, Bogotá
Entrada: franca
Horários: seg-sáb de 9h às 19h e dom. de 10h às 17h
*não abre às terças

MONSERRATE: É uma das maiores montanhas da cidade, está a 3.152m de altitude e é um dos principais pontos turísticos de Bogotá. É possível chegar lá em cima de três formas: a pé, de teleférico ou de funicular. Acabamos subindo de teleférico por ter a melhor vista – e também porque o funicular só funciona na parte da manhã e fomos à tarde. Além da linda vista panorâmica da cidade e da basílica que atrai muitos turistas religiosos, lá em cima também tem lojas, feirinha de artesanato, café, banheiros e restaurantes. Aproveitamos um deles para provar esses deliciosos milhos gigantes! 😋 🌽

Endereço: Carrera 2 Este No. 21-48 Paseo Bolívar
Preço: a entrada é gratuita, mas o teleférico custa 8.500 pesos por trecho.
no site oficial tem mais informações

DI LUCCA: Chegamos em Bogotá à noite, então a única coisa que fizemos nesse dia foi sair para jantar. Pedimos indicação no lobby do hotel e acabamos indo no italiano Di Lucca, que fica praticamente ao lado do Sofitel em que ficamos hospedados (vou falar dele no próximo post!). Só depois que descobrimos que esse restaurante era, de fato, bem conhecido. Inclusive, uma leitora que já morou em Bogotá me indicou ele depois por Direct no Insta, rs. Era um domingo e estava cheio, mas esperamos apenas 5 minutos por uma mesa. Todos os pratos estavam uma delícia e o preço era bem razoável, cerca de 30/40 mil pesos por prato.

Quase todos os restaurantes que fomos ficam na famosa Zona T, no bairro de La Cabrera, movimentada por bares e restaurantes legais. Nosso hotel ficava bem ali, o que era ótimo para poder fazer tudo a pé.

Endereço:  Cra. 13 #85-32

CREPES & WAFFLES: Esse foi indicação de várias pessoas e tem em muitos lugares da Colômbia. Fomos na filial do La Cabrera, que fica numa ruazinha fechada, ao lado de várias lojas legais como a Pull & Bear. Desta vez fomos só para uma sobremesa (esse sorvete de cheesecake com limão e suspiro que estava divino!), mas o menu é recheado de opções de pratos salgados – e tem mais coisas além de crepes e waffles, rs. Em Medellín pedi uma salada de parma com queijo de cabra e cebola caramelizada que estava deliciosa!

Endereço: Cra. 11 #85 – 79

EL CORRAL GOURMET: Existem várias filiais do El Corral pela Colômbia, mas as que são “gourmet” tem opções de hambúrgueres ~diferenciados~, rs… Pedi um de calabresa com abacate que estava BEM bom!

ANDRES CARNE DE RES: Esse restaurante é praticamente um ponto turístico, rs… Perdi a conta de quantas pessoas me indicaram.O ambiente impressiona logo que entramos! Você fica até perdido sem saber para onde olhar com tantos detalhes legais. São 4 andares: inferno, terra, céu e purgatório, cada um com uma decoração diferente. O último andar conta com ambiente para festas e parquinho para crianças.

Nunca vi um cardápio tão grande, sério – tinham umas 70 páginas! Mas como o forte de lá são as carnes, pedimos a sugestão de 2 cortes com acompanhamento de batatas e salada. Tudo muito bom, vale a pena a visita! Apesar do restaurante ser grande, dependendo do dia da semana pode ficar cheio, então vale fazer reserva. Fomos à tarde, por volta das 16h, então estava bem tranquilo, mas já vimos várias mesas reservadas para o jantar.

A versão original do restaurante fica mais distante, essa que fui é a DC, que também fica no La Cabrera e é a mais visitada.

Endereço: Calle 82 #12-21 | Dentro do centro comercial El Retiro

• • •

Bogotá é uma cidade bacana, mas não tem tanta coisa assim para se fazer e dois dias foram suficientes para os nosso programas. Gostaria, talvez, de ter ficado mais um dia só para conhecer outros restaurantes, rs… #gordinha

Ainda vou postar sobre o hotel em que ficamos na cidade e depois vem o post com dicas de Cartagena! <3

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
ago 11, 2017 | Por Mandy em Beauté, Unhas

Um ano depois de colocar unha de porcelana 💅

Tem pouco mais de um ano que eu abri mão das unhas cotocas e me rendi às de porcelana ovais & pontudinhas. Fiz um post na época falando do processo e agora, 14 meses depois, volto a falar do assunto porque não me imagino longe da Sheila, vulgo Sheilíssima, tão cedo, rs…

Pra mim, as maiores vantagens da unha de porcelana durante esse tempo foram:

• Ficar de 3 a 4 semanas com as unhas intactas – o esmalte não descasca (mesmo!) e muito raramente a porcelana lasca ou quebra (comigo aconteceu apenas duas vezes e a culpa foi minha, rs). Isso é ótimo em viagens e para pessoas como eu que têm preguiça de ir na manicure toda semana. E, convenhamos, a natural dificilmente fica mais de 5 dias ilesa, rs;

• Poder mudar o tamanho quando eu quiser – algumas vezes maiores, outras menores, mais arredondas ou mais pontudas, já foram várias experimentações;

• O efeito é super natural – quando bem feita, claro, ninguém acredita que é de porcelana;

• O custo x benefício – botando na ponta do lápis, pode sair mais barato do que muita manicure semanal comum por aí.

Unha foi feita pra brilhar! ✨💅🏼@sheilissimaaraujo arrasando mais uma vez! #StarvingNails

Uma publicação partilhada por Blog Starving ⭐️ (@blogstarving) a

To tipo 😍❤️ pelas minhas unhas novas comemorativas! 😄✨ @sheilissimaaraujo arrasando como sempre! #StarvingNails

Uma publicação partilhada por Blog Starving ⭐️ (@blogstarving) a

Essas foram algumas das minhas escolhas nesses últimos meses. O cromado azul foi um experimento que virou até vídeo, rs. Estão todas lá no Instagram na hashtag #StarvingNails! 💅

É claro que a aplicação e manutenções têm que ser feitas por um bom profissional, principalmente para evitar infecções. Durante esse tempo, algumas meninas me perguntaram como fica a unha natural. Nesta foto aí em cima, a minha unha do indicador está sem a porcelana por cima, enquanto todas as outras estão. Dá para ver que a unha está saudável. Fica um pouquinho mais fina que o normal, claro, porque faz parte do processo lixar a superfície, mas ela cresce normalmente, como era antes da porcelana.

Sempre elogiam e me perguntam com quem eu faço as minhas e eu indico a Sheila de olhos fechados – o trabalho dela é excelente! Fiquei sabendo de outras meninas que começaram a fazer com ela e também estão amando. Sem contar que essa pessoa é uma figura e é sempre divertido quando a gente se encontra, rs…

A Sheila está atendendo em outro lugar, também no Centro. Agora ela fica na Rua da Quitanda, 30 | 305 – cel: (21) 96498-1176! É uma sala aconchegante, lindinha e tranquila, sem aquela agitação de salão. Lá eles também fazem sobrancelha (tem micropigmentação!) e colocam cílios. 💁 Estou pensando em colocar novamente, inclusive! Depois conto! ;)

Beijos,
Mandy

 

 

Você também pode gostar
ago 09, 2017 | Por Mandy em Por Aí

#StarvingPorAí no Peru :: O passeio na Rainbow Mountain 🌈🗻

Voltei da Colômbia esses dias, mas ainda tenho mais um do Peru pra fazer além deste! rs… Acho que este foi o que gerou mais interesse da galera que acompanhou a minha viagem pelo Instagram. O passeio da Rainbow Mountain foi o mais esperado durante meus dias em Cusco, justamente por ser super diferente do roteiro que costumamos ver por aí (as idas pra lá começaram a serem feitas há cerca de 2 anos) e por ser uma paisagem completamente diferente de tudo que já tinha visto na vida. E olha, valeu muito a pena! Foi uma das experiências mais incríveis de todas.

Muita gente me perguntou como fiz para chegar lá. Existem opções de tours compartilhados em várias agências locais, com até 30 pessoas. Mas como é um passeio cansativo, que demora o dia inteiro, com trilhas, influência da altitude e tudo mais, eu e minha mãe optamos por um tour privado que tinha sido recomendado por uma amiga dela. No final, a diferença para duas pessoas nem foi grande. O tour compartilhado sairia em torno de 70 dólares para duas pessoas e o carro com o guia privado foi U$90. O casal de guias foi buscar a gente no hotel por volta das 3 da manhã. São umas 3 horas de carro até a entrada da montanha. É claro que dormi boa parte do caminho até lá, mas vale ficar acordada no nascer do sol, as paisagens são sensacionais!


parece até pintura!

Bom, assim que chegamos lá tomamos um pouco de chá de muña, que ajuda a evitar o mal de altitude (o famoso soroche). Achei bem melhor que o de coca. Tem alguns locais vendendo comida e bebida por lá, mas vale levar algo na mochila para o café da manhã e almoço. No nosso caso, os guias levaram as comidas, estava incluso no tour. Foram dois lanches com sanduíches e frutas. Ah, tem alguns banheiros químicos ao longo do caminho, mas são bem simples (nada que quem frequente o carnaval do Rio não esteja acostumado, rs).

Para subir você tem duas opções: a cavalo ou a pé. Por serem quase 2 horas de trilha até chegar lá, optamos por subir a cavalo. Vários locais ficam na entrada da montanha com seus cavalos e o preço é o mesmo: 70 soles (35 pra ir e 35 pra voltar). Mesmo subindo a cavalo existem trechos que temos que subir a pé por serem muito íngremes ou estreitos. São alguns passos cansativos até subir no cavalo novamente, impressionante como a altitude influencia, você fica cansada bem mais rápido.

Muitas pessoas me perguntaram se esse é um passeio tranquilo para se fazer. Olha, se eu consegui todo mundo consegue, rs. Minha mãe tem 55 anos e também foi. É claro que cansa um pouco, mas é só ir no seu ritmo, subindo devagar, bebendo água e parando pra descansar às vezes. Qualquer cansaço compensa quando a gente chega lá em cima e se depara com isso:


O topo da Rainbow Mountains está a 5.200m de altitude! Ou seja, alto para caramba MESMO! Então não esqueça de tomar soroche pills antes do passeio e de beber chá de coca ou de munã. Fiquei com um pouco de dor de cabeça na descida, mas logo depois que tomei mais um pouco de chá passou.

O observatório da montanha não é um lugar grande, então demos sorte de ter chegado lá cedo, pois deu para apreciar a vista com mais calma e tirar fotos sem tanta gente aparecendo no fundo, rs. Aproveitamos para almoçar lá em cima enquanto descansávamos um pouco as pernas. Quando estávamos descendo já tinha bem mais gente chegando e imagino que isso tire um pouco a graça da grandiosidade daquele lugar maravilhoso então, de novo, tente chegar cedo.


descendo a montanha – que lugar incrível!

Já passei o contato do casal de guias, Nery e Jeth, para várias pessoas que me pediram no direct do Insta. Eles são super simpáticos, o carro deles é bem confortável e o Jeth ainda tira fotos com a câmera profissional dele e repassa todas depois por email, rs. Quem quiser, o contato da Nery é este: +51 984 889 890.

Importante levar: mochila, protetor solar, protetor labial, óculos de sol, chapéu e sapatos super confortáveis (de preferência de tracking, já que alguns trechos são meio escorregadios). Ah, um fone de ouvido e uma playlist bacana fazem a diferença enquanto a gente está admirando as paisagens. Fiz uma e aproveito pra compartilhar por aqui:

O último post com dicas do Peru entra esta semana ainda porque quero subir logo os da Colômbia também! rs…

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jul 31, 2017 | Por Mandy em Publieditorial, Rio de Janeiro, Starving recomenda

#DumboDoDia: Cão Ativo Club

Que a nossa vida é facilitada todos os dias com 2831389 aplicativos que nos ajudam a organizar tarefas, finanças, exercícios e tudo mais, a gente já sabe. Nos preocupamos tanto com nós mesmos e acabamos esquecendo que a tecnologia também pode ser aliada à saúde dos nossos pets. Esses dias fui apresentada a um aplicativo novo, o Cão Ativo Club, voltado somente para o bem estar dos nossos filhotes caninos.

Vocês já devem ter visto que eu tenho dois, né?! ❤️🐶 🐶 Uma pug velhinha de 12 anos, que já não curte tanto passear, rs, e um bulldog francês de 6 que é super ativo. Dumbo tem até hashtag no Instagram – #DumboDoDia.

Basicamente, o Cão Ativo Club reúne três características: ferramenta de monitoramento dos passeios, contratação de passeadores capacitados e conteúdos informativos exclusivos.

A usabilidade do app é bem simples. Você começa criando um perfil individual do seu cachorro. Se você tiver mais de um, dá para criar perfis de cada pet na mesma conta. Em cada perfil você vai encontrar:

• Histórico de passeios realizados, pelo dono ou dogwalker;

• Nível – quanto mais passeios consecutivos seu cachorro acumula pontos para se tornar cada vez mais saudável e experiente;

• Se você preencher no cadastro as datas, o app também oferece lembrete de vacinas e fermífugo.

 Quando eles escutam a palavrinha mágica: “Vamos passear?!”, rs…

Dentro do aplicativo você consegue registrar todas as caminhadas com seu cachorro e ainda acompanhar as informações que os passeadores contratados compartilham em tempo real, como o tempo do passeio, mapa do percurso, registro de xixi/cocô 💩 e fotos do passeio. 

Além das ferramentas de passeio, ainda é possível contratar um passeador profissional avaliado pessoalmente pelo criador do app, Fernando Baiardi,  que tem 23 anos de experiência na área, é especialista em comportamento canino e capacitou mais de 1.700 profissionais em todo país! Uma mão na roda caso falte tempo para levar seu cachorro para passear. A seleção é bem fácil e possui acompanhamento detalhado de cada passeio com alerta de retirada e entrega do cachorro.

O aplicativo é novo e ainda não está com cobertura nacional para os prestadores de serviço, que inicialmente estão disponíveis em São Paulo. Mas, ao longo dos anos, a Cão Ativo treinou mais de  1.700 dog walkers espalhados por todo o país. Caso alguém precise de um passeador em determinada região, basta mandar um email para contato@caoativoclub.com.br que eles farão o possível para disponibilizar um dog walker qualificado em pouco tempo. 😊

O site do Cão Ativo Club tem todas as infos e dá para baixar de graça no iTunes ou Google Play. 😉 E quem tiver interesse em se tornar um profissional na área canina, o Cão Ativo, que existe desde 2011, oferece diversos cursos.

O app ainda possui uma aba exclusiva com post recheados de dicas para ter um melhor convívio com o seu cachorro.

Dumbinho agradece, rs…

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jul 24, 2017 | Por Mandy em Compras, Por Aí

#StarvingPorAí no Peru :: Os melhores lugares para comprar artesanato em Cusco

Não tem como andar por Cusco e não ficar encantada pelo artesanato local. Encantada e, ao mesmo tempo, confusa. A oferta é muito grande e são diversas lojinhas, feiras, vendedores nas ruas,… É muito fácil ficar meio perdida e na dúvida do que comprar. Depois das minhas andanças de 5 dias pela cidade, selecionei os lugares onde encontrei as peças mais diferentes. Por ser um artesanato bem típico, facilmente a gente encontra as mesmas peças em vários lugares, então a dica é controlar o impulso, olhar tudo antes e depois comprar.

LOJAS DA VILA
Essa vila tem umas lojas bem legais. Dá para encontrar objetos para casa, tecidos, bolsas, acessórios de prata,… Tem de tudo um pouco. A vila é pequena, mas uma graça! E ainda fica no caminho de um restaurante bom chamado Pachapapa. Não consegui achar o endereço, mas fica na Cuesta de San Blas quase na esquina da Carmen Bajo.

LOJA DAS BOLSAS
Essa foi a loja com as bolsas mais bonitas que vi por lá. Além dessas coloridas de corda, tem também várias de couro igualmente lindas. Acabei comprando uma mochila (55 soles) e uma de couro (95 soles). São várias variações de tamanho e tonalidades.

Calle Marquéz, 268

MERCADO PISAC
É um dos mercados mais conhecidos de Cusco. Fica um pouco distante, mas é super tranquilo de ir de Uber – agora eles têm Uber por lá! Eu cheguei meio no final, perto das 17h, mas mesmo assim deu para dar uma volta no mercado e comprar algumas coisas, como aquele chapéu preto que eu usei em várias fotos da viagem, rs… Lembrando que é sempre bom pechinchar. A prática é SUPER comum. Por exemplo, o tal chapéu era 80 soles e eu paguei 50! ;)

MERCADO SAN PEDRO
É bem diferente do mercado de Pisac. Em um local fechado, tem barracas de artesanato misturadas com as de comida. Tem MUITA coisa e é fácil se perder no meio de tanta opção. Foi lá que comprei uns tecidos estampados para fazer almofadas. Acabei achando que valia bem mais a pena do que comprar elas prontas. Tem muita opção gastronômica também, mas acabei tomando apenas um suco (de lúcuma – estava maravilhoso!). Confesso que fiquei um pouco enjoada com as barracas de açougue com tanta carniça exposta. O cheiro incomoda um pouco e acabei optando por almoçar em algum lugar fora dali.

GALERIA
Já tinha passado nessa ‘galeria’ algumas vezes, mas só entrei no último dia. Não é muito grande, mas tem umas peças bem diferentes. Acabei comprando uma vela toda decorada e uma pulseira. Passei todos os dias procurando algum acessório local, mas que não tivesse uma cara super ‘típica’. Esse artesão faz os acessórios mais bonitos que vi na cidade, misturando diversas pedras com as mais diferentes cores de linha. A minha tem a pedra da ‘pacha mama’, ou seja, a mãe terra (pena que não tirei foto dela). Adorei as combinações que ele faz de tons terrosos com neon. Ele fica bem na entrada da galeria do lado esquerdo e a galeria fica ao lado da Iglesia de la Compania de Jesus, na Plaza de Armas.

CENTRO TÊXTIL
Essa foi uma das visitas mais interessantes no centro de Cusco! Lá pudemos ver como as artesãs fazem esses tecidos maravilhosos. Todo o processo, desde a tosa da lhama, passando pela produção do fio, coloração e tecelagem é incrível! Tudo é tingido com produtos naturais e algumas peças demoram até 6 dias para serem produzidas. O centro fica em uma vila super simpática que conta com um mini mercadinho com peças que essas famílias fazem. Difícil não sair de lá com alguma coisa depois que a gente vê como é feito! <3

Av El Sol 603

• • •

Sei que estou mega em falta com os posts de Cusco! Ainda tem mais 2 para entrar (sobre os passeios da Rainbow Mountains, Vale Sagrado e Machu Picchu!) e espero conseguir subir em breve! Quem quiser ir acompanhando a minha viagem atual pela Colômbia, estou postando tudo no Instagram – e claro que terão posts aqui também! :)

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jul 07, 2017 | Por Mandy em Publieditorial, Reflexão, Starving recomenda

Eu, meus crushes e o happn

Não sou muito de falar da minha vida pessoal por aqui e nas redes sociais mas, quem me acompanha há mais tempo, sabe que eu namorei durante 10 anos – sim, 10 anos! rs… Desses 10, morei junto 4. Ou seja, é MUITO tempo. Um terço da minha vida com a mesma pessoa. Estou solteira desde o final de 2015 e essa experiência tem sido super importante pra minha evolução pessoal – e divertida também, claro! rs

Logo nessa época, saí com a , do F-uti, para conversar sobre meu término e ela me apresentou o happn. Me incentivando a baixar o aplicativo, ela me mostrou como funcionava e achei aquela novidade tecnológica super interessante, rs…

Tenho amigas que não se sentem muito à vontade de usar aplicativos de paquera, mas eu sou super a favor. Acho uma mão na roda e um grande facilitador na hora de conhecer novas pessoas. Com o happn então, fica ainda mais fácil, porque você cruza com as pessoas que andam por onde você passa (em um raio de 250m). Então, volta e meia rola de ir em um evento/festa e cruzar no happn com quem você achou interessante, mas teve vergonha de flertar pessoalmente, rs…


Quando você cruza com um cara bonitinho…


…e dá Crush!

Conheci pessoas bem legais no happn e comecei a incentivar minhas amigas solteiras a usarem também. Uma delas, inclusive, conheceu seu atual namorado no aplicativo e eles estão morando juntos há alguns meses. De nada, Cris, rs… #madrinha

Bom, como usuária do aplicativo há um ano e meio, achei bem legal quando o pessoal do happn me procurou para contar um pouco da minha experiência com o app. E olha, vou falar que o que eu tenho é história pra contar, viu, rs…

O meu primeiro encontro do happn (e o primeiro EVER depois de 10 anos!) foi também a história mais bizarra de todas, rs… Depois de algumas mensagens com um menino bonitinho que já tinha visto através do happn da Jô, descobri que ele morava na minha rua, apenas alguns prédios depois do meu. Uns dias se passaram e combinamos de tomar um chopp em um bar perto da nossa casa. Foram horas e mais horas de papo e uma conexão bem legal. De madrugada, na hora de ir embora do bar, perdemos a noção da periculosidade que o Rio de Janeiro possui e resolvemos voltar a pé, já que estávamos bem perto de nossas casas – praticamente na esquina. E eis que, um cara salta de um carro do nosso lado, com uma arma na mão, e assalta a gente.

SIM, fui assaltada com o crush no meu primeiro date pós-solteira. Resultado: levaram minha bolsa com tudo dentro e a carteira dele. Adivinhem aonde foi o segundo encontro?! Na delegacia fazendo B.O. juntos no dia seguinte, hahaha. Depois disso, continuamos saindo algumas vezes. Aí os encontros foram diminuindo e ele voltou a morar em São Paulo. Mas taí uma história que depois do acontecido virou cômica, rs…

Sabe aquele encontro que você meio que não espera muita coisa porque a pessoa mora longe e está de passagem na sua cidade? Então… Esse foi um que me surpreendeu positivamente. Encontrei com ele em um festival de cerveja e o date já começou engraçado porque tem certas coisas que só acontecem comigo.

Marquei com o crush no evento e, quando vejo ele vindo de longe na minha direção (“nossa, que graça!“, pensei), eis que surge: meu pai, meus primos e meu irmão. “Amanda, o que você tá fazendo aqui? Nem avisou que vinha! Vamos ali pegar uma cerveja!”. O crush dá meia volta e some, envergonhado, claro. Eu: “Ehhhh, vim encontrar uma amiga. Preciso ir no banheiro. Vejo vocês depois, beijo”. Mensagem pro crush: “Ei, volta aqui, eles já foram, rs”. Crush responde: “Ok, haha 🙊”. Eu pensando: “Ufa, graças! Não perdi o crush”. Papo vai, papo vem e mais algumas cervejas depois a vida aconteceu (leia-se, os beijos, haha) e tudo deu certo.

Eu já estava crente que nem ia mais encontrar com ele novamente, mas marcamos mais um encontro antes dele ir embora. Depois de duas semanas nos encontramos em São Paulo e continuamos nos falando, todos os dias, por quase dois meses. Só paramos de nos falar por um tempo porque eu estava envolvida mais seriamente com outra pessoa. Esse relacionamento acabou não dando certo e foi então que voltamos a trocar mensagens. Nos encontramos mais duas vezes em São Paulo (ele não mora lá, mas é o meio do caminho, rs) e continuamos nos falando frequentemente e, o que tinha tudo para nunca mais acontecer, acabou virando uma relação super bacana. Eu sei que não vai evoluir para algo mais sério, ele também e tá tudo certo. Sabe quando tudo flui naturalmente e não existe pressão, nem joguinho?! O que vale é o carinho e os momentos legais que passamos juntos de vez em quando. 

Um dos meus primeiros encontros foi com um menino que, assim que eu o vi no happn, pensei: “Opa! Te conheço e não é de hoje“… “Oi, você não é amigo da Fulana?!”; “Sim, também lembro de você, rs“. Depois disso, foram alguns encontros e desencontros e essa amiga em comum volta e meia acaba nos “unindo”. O legal, é que independentemente de qualquer coisa, criou-se uma amizade bacana e hoje em dia até trabalhamos juntos em algumas ocasiões. #MandaJobs, rs…

• • •

Tive algumas outras experiências com o happn que também foram histórias interessantes. Acho que sempre temos algo pra aprender e vivenciar. Entre levas de meses usando e outras não, me vejo em um00a terceira fase com o aplicativo e conhecendo novas pessoas. Certamente terei mais casos para contar daqui a um tempo, rs…

Alguém tem experiências legais com aplicativos de relacionamento para compartilhar?! Quero saber! rs… E quem ainda tem dúvidas sobre usar ou não, eu só digo uma coisa: se joguem! :) Pode até dar um pouco de preguiça no começo, eu entendo, mas certamente pode valer a pena. 😉

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jul 06, 2017 | Por Mandy em Por Aí

#StarvingPorAí no Peru :: Me hospedando no JW Marriott El Convento em Cusco

Uma das coisas legais da minha viagem ao Peru foi poder me hospedar em diferentes estilos de hotéis. Durante meus dias em Cusco, tive oportunidade de conhecer o JW Marriott El Convento, um hotel maravilhoso localizado num prédio que costumava ser um convento do séc. XVI! Já dá para imaginar que o contraste das construções antigas com as contemporâneas é incrível, né?!

O hotel demorou cerca de 6 anos para ficar pronto, já que grande parte da construção original foi mantida e, durante o processo, foram realizadas várias escavações que levaram a descobertas de objetos da época do império inca. Inclusive, o hotel possui um museu com acervo de todos esses objetos encontrados ao longo de sua estruturação.

O nosso primeiro dia em Cusco foi de descanso total, para acostumar com a altitude. Então, ficamos o dia inteiro relaxando e aproveitando o hotel. Aliás, recomendo muito as quesadillas e as sopas de lá! Pedimos no room service assim que chegamos e estavam maravilhosas. Até repetimos o pedido outro dia, rs…



Lobby do hotel


Pancho! <3


Pátio interno do hotel

O pátio interno é, certamente, o lugar mais bonito do hotel. A construção desse claustro impressiona bastante. Às vezes, durante o dia, eles servem parte do café da manhã lá. A noite tiveram alguns “eventos” enquanto eu estava hospedada e foi ótimo poder chegar cansada de um passeio no fim do dia e aproveitar esse pátio com churrasco – com direito a marshmallow na fogueira – e chá quentinho. Tudo isso incluso na diária. É nesse pátio também que o Pancho, a alpaca do hotel, descansa. Imaginem tomar café ao lado de uma coisa fofa dessas?! rs…

Café da manhã de hotel é sempre uma tentação, né?! Eu tentei comer coisas diferentes todos os dias, mas o omelete feito na hora rolou nas 5 manhãs, rs… Na verdade, são várias opções de pratos feitos com ovo: poché, mexido, cozido, omelete, frito,.. Além disso, várias opções de pães, geléias, frios, frutas, leites (tinha sem lactose!), etc.

Ah! Assim como em vários lugares de Cusco, o hotel oferece, gratuitamente, chá de coca a qualquer hora do dia. Além de manter a gente aquecido, ainda ajuda a evitar o famoso soroche, o mal de altitude.

Eu fiquei em dois quartos enquanto estive lá, mas achei o do subsolo mais legal exatamente por causa dessa ‘vista’, rs… É que essas acomodações são as únicas que ficam ao lado da parede inca original do antigo convento. Só não recomendo esse andar para quem tenha algum tipo de claustrofobia, rs… Aí, é melhor optar por um quarto comum. De qualquer forma, todos são SUPER confortáveis e possuem essa cama maravilhosa que me dava uma preguiça imensa na hora de levantar todas as manhãs.

Sobre os valores, as opções começam a partir de R$700/800 a diária (no Booking) na alta temporada e é um dos hotéis mais legais de Cusco. É uma opção com preço mais elevado, claro, mas para quem quiser se hospedar em um cinco estrelas na cidade, certamente essa será uma ótima experiência!

O hotel fica bem perto da Plaza de Armas, área central de Cusco, e do lado de vários restaurantes e lojinhas. Fizemos quase tudo a pé por ali e pegamos táxi poucas vezes. Aliás, eles tinham acabado de lançar o Uber quando chegamos lá, então é mais uma opção de transporte para lugares mais distantes. ;)

​JW MARRIOTT EL CONVENTO
Esquina de la y, Calle San Agustin & Ruinas, Cusco

Quero subir logo os posts com as dicas de Cusco! Espero que até semana que vem consiga fazer todos. :) Quem quiser conferir as dicas de Lima, tem aqui.

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jul 05, 2017 | Por Mandy em Rio de Janeiro, Starving recomenda

#StarvingRioTips: Pineal, Ritual Cênico – Teatro de Afeto

Há duas semanas assisti à uma peça de teatro que mexeu tanto comigo que não tinha como passar batido por aqui. Foi o tipo de experiência que quando terminou eu saí mandando mensagem para várias amigas falando: “temos que assistir essa peça juntas!”. Foi um sentimento bem parecido com o que tive depois de ler “Outros Jeitos de Usar a Boca” (falei aqui): um verdadeiro soco no estômago.

“Pineal – ritual cênico”, é uma peça feita por mulheres, para mulheres. A energia feminina percorre todo o espetáculo e não tem como, nós mulheres, não nos identificarmos com algumas (ou várias) situações abordadas na peça. Eu me peguei com nó na garganta em alguns momentos, com lágrimas nos olhos, rindo,… Um mix de emoções sem fim. Fato é que: é praticamente impossível não sair de lá transformado.

A peça aborda temas sociais atuais como o empoderamento feminino, o racismo e machismo que as mulheres negras enfrentam, relacionamentos abusivos, aborto, tabus, relações contemporâneas,… Enfim, são 8 mulheres (e apenas um homem), o que ajuda a dar mais força para discursos que geralmente são silenciados. Cada uma interpreta uma cena totalmente diferente, mas que têm algo em comum: o afeto. Não necessariamente o afeto como carinho ou adoração, mas como tudo o que nos afeta, mesmo que negativamente, que propõem movimentos fora dos nossos padrões. É sobre se deixar afetar, propondo que as pessoas se permitam serem mais permeadas por certas questões em um mundo onde cada vez mais os afetos são reprimidos.

Outro conceito muito legal, é que o Teatro de Afeto, grupo responsável por esta peça, não cobra ingresso. O valor é sugerido (R$20) e cada pessoa pode contribuir com o quanto puder/quiser. É a economia solidária tentando tornar o teatro um pouco mais democrático. :)

Eu assisti no último dia da temporada do Teatro Poeira (aquele teatro da Andrea Beltrão e da Marieta Severo que fica em Botafogo) e todas as sessões de lá ficaram lotadas! Aí, esta semana fiquei sabendo de uma nova leva de apresentações na Lapa. Então, eu recomendo FORTEMENTE que quem puder assistir VÁ – e depois me diga o que achou! rs…

Pineal – ritual cênico
De 8/07 a 31/07
Sextas, sábados, domingos e segundas às 20:00 – a vivência começa às 19:30 na Escadaria Selarón
Sede das Cias, Escadaria Selarón
Rua Manoel Carneiro, 12 – Lapa
Contribuição Voluntária (Valor sugerido R$20,00)
Duração: 90 minutos
Classificação: 14 anos

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jun 26, 2017 | Por Mandy em Por Aí, Restaurantes

#StarvingPorAí no Peru :: Astrid & Gastón, uma experiência gastronômica em Lima

Uma das melhores coisas de conhecer um lugar novo é provar a comida local. Antes de viajar eu sempre pesquiso quais são os restaurantes legais e os pratos típicos. A culinária do Peru é uma das mais famosas do mundo e, realmente, comi maravilhosamente bem por lá! Logo quando comecei a pesquisar dicas de Lima, todo mundo me indicou os restaurantes do Gastón Acurio, referência e embaixador da gastronomia peruana. Ele tem tantos endereços por lá: Tanta, Papacho’s, La Mar (falei desses três aqui), Chicha (em Cusco), e vários outros.

Uma das experiências mais legais em Lima foi poder conhecer o Astrid&Gastón, restaurante dele com a esposa, Astrid Gutsche, que já foi eleito o melhor restaurante da América Latina e um dos melhores do mundo!

O restaurante fica dentro de um casarão antigo chamado Casa Moreyra, que fica no bairro San Isidro. Ele conta com 5 ambientes com decorações completamente diferentes e 5 cozinhas, cada uma dedicada à uma especialidade: sobremesas, massas, pratos quentes, etc. Além disso, eles fazem uso de uma horta própria de onde tiram muitos dos ingredientes de seus pratos.

  

O menu conta com opção de degustação e à la carte, oferecendo pratos típicos da culinária peruana com um toque contemporâneo. O cardápio muda de acordo com a estação, então são servidos 4 menus por ano, usando apenas ingredientes orgânicos da época.

Como eu e minha mãe fomos à convite do restaurante, nos serviram a opção do menu degustação, com couvert, 7 pratos e sobremesa. Ou seja, comemos muito bem! rs…

Além de ingredientes inusitados combinados com os típicos da culinária local, a apresentação dos pratos é um show à parte. A combinação dos sabores é super diferente de qualquer coisa que eu já comi. Alguns pratos podem ser meio ousados, como a carne de Cuy (vulgo porquinho da índia, que é muito comum por lá), mas resolvi entrar no clima e provar tudo – e olha, tava bom, viu, rs… #SorryPorquinho

Bom, é claro que registrei todos os pratos. Quem acompanhou o Stories no dia, viu a orgia gastronômica que foi, rs…

Já começando por esse couvert que possui um dos melhores pães que já comi na vida – esse roxo feito com beterraba. Sério,… Todos vieram quentinhos e com acompanhamento dessas pastinhas de tomate seco, abacate e sour cream.

Concha de Pisco: Vieira com raspas de pisco congelado. Embaixo da vieira, um creme de pistache, cilantro e baunilha.

Cebiche de Corvina: Ceviche tradicional peruano.

El Huevo con Langosta: Um ovo poche com tempurá e lagosta – um dos meus preferidos! :9

Cuy Pekinés: Esse é o que tem carne de porquinho da índia, rs… A ideia é enrolar nessa ‘bolacha’ molinha feita, parece um mini taco. Parece estranho, mas estava bem bom.

Gyozas de CauCau de Mariscos: Gyosas de frutos do mar com “CauCau”, que é um guisado peruano tradicional que geralmente tem tripas de carne – bem bom!

Mero Murique con texturas de Choclos: Não me lembro exatamente o que tinha nesse prato além desse peixe branco delicioso, rs…

Lechón con Carapulcra: Lombo de porco com pele crocante em um molho Carapulcra.

As sobremesas variam de acordo com o dia e essa tinha lascas sorvete de doce de leite com suspiros – maravilhoso!

Depois da sobremesa, ainda veio café com essa caixa recheada de mini doces maravilhosos. O garçom disse para escolhermos 6 cada uma! Não vou conseguir lembrar quais que escolhi, mas estavam todos muito bons.

O ideal é reservar um bom tempo para o almoço ou jantar. Ficamos quase 3 horas lá e nem sentimos o tempo passar. Sentamos na área do pátio, num ambiente super agradável, bebendo os vinhos que harmonizavam com os pratos, apreciando o momento, rs…  Além disso, vale fazer a reserva com antecedência, principalmente se optar pelo menu degustação.

O valor do menu degustação é de 294 soles por pessoa (cerca de R$290) e, para o almoço, vai até às 14h30. É caro, óbvio, mas por se tratar de uns dos melhores restaurantes do mundo, é uma experiência bem interessante.

Certamente foi uma das experiências mais legais em Lima! Dá para entender o sucesso do Gastón Acurio, que possui filiais em Bogotá, Santiago do Chile, Cidade do México, Madri, Miami, São Francisco, Nova York, além de outras filiais como o o La Mar, que fica em São Paulo. Ao todo, são mais de 35 restaurantes no mundo. 😮

​Astrid & Gastón
Av. Paz Soldan 290, San Isidro

Com este post encerro as dicas de Lima e os próximos que entrarão no ar serão de Cusco e Machu Picchu! ;)

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jun 22, 2017 | Por Mandy em Por Aí, Restaurantes

#StarvingPorAí no Peru :: As melhores coisas que fiz em Lima

Os posts da viagem ao Peru estão só começando. Já falei aqui do hotel em que fiquei hospedada e, como tem outros posts para entrar ainda, resolvi juntar todas as dicas de Lima em um só. Lembrando que na hashtag #StarvingPorAi, no Instagram, tem bastante coisa também! ;)

MATE | MUSEO MARIO TESTINO :: Certamente foi o meu programa preferido na cidade! O museu é totalmente dedicado ao trabalho do renomado fotógrafo peruano. Além das fotografias de moda que estamparam as revistas mais importantes do mundo e as campanhas de marcas como Gucci, Versace, D&G, Armani, Burberry, o museu conta com uma exposição lindíssima dos povos peruanos e outra com as últimas fotos da Princesa Diana, 30 dias antes do acidente fatal. Pena que a loja estava em obras quando fui e tinham poucos itens à venda na recepção. Pelo menos não deixei todos os meus soles lá, porque eu acho que não teria maturidade, rs…

• Av. Pedro de Osma 409, Barranco
Horários:
Terça a Sábado: 11 às 20h

Domingo: 11 às 18
Ingressos:
15 soles (R$ 12,70)

MONUMENTAL CALLAO :: Toda vez que visito uma cidade nova eu procuro a cena artística mais alternativa. Chegando em Lima descobri, fuçando pelo Instagram, uma região chamada Monumental Callao, com grafites, galerias e restaurantes. Passamos uma tarde por lá explorando tudo e recomendo a visita! Fica um pouco distante, cerca de 25 minutos de táxi (deu 27 soles de Uber), mas achei que valeu super a pena. Como não tínhamos indicação de restaurante, acabamos almoçando em um que achamos simpático e foi uma das melhores refeições que fizemos em Lima – e uma das mais baratas também, rs… O restaurante El Comedor abriu há apenas 2 meses. É simples, mas uma gracinha. Os pratos são bem grandes, então daria para ter dividido por duas pessoas. Cada um saiu em torno de 30 soles, ou seja, um pouco menos de R$30.

• Independencia, Callao 07021

MUSEU LARCO :: Um dos lugares mais bonitos de Lima! A entrada do museu já indica que o jardim será encantador. Além disso, o museu é super didático e o resto da sua viagem vai fazer mais sentido depois de ter aprendido um pouco mais sobre a arte inca e pré-inca. É bizarro pensar que esse povo produzia tanta coisa linda, complexa e detalhada com tão pouco recurso. São mais de 45 mil objetos! O acervo é grande e dá para visitar até o depósito, o que é muito raro em vários museus. Lá fica também a maior coleção de cerâmica erótica do mundo (ui!) e inúmeras peças que retratam o cotidiano daqueles povos.

Eu não tive tempo de almoçar no restaurante do museu, mas dizem que é ótimo, além de lindo, claro!

• Av. Bolivar, 1515 | Pueblo Libre
Horários:
De Segunda-feira a domingo, das 09:00 às 18:00 horas
Ingressos:
30 soles 

HUACA PUCLLANA :: O sítio arqueológico fica bem no meio de Miraflores. É bem curioso ver o contraste das ruínas com os prédios modernos ao redor. O local é dividido em museu, sítio arqueológico e restaurante. A visita começa pelo museu onde estão expostos diversos objetos arqueológicos, além de tecidos e tapeçaria das culturas Lima, Wari e Ychsma. O tour pelo sítio demora cerca de uma hora e pode ser feito em espanhol, inglês, português, francês ou japonês.

Há quase 6 décadas que arqueólogos e pesquisadores trabalham na Huaca Pucclana e, com o passar do tempo, vão descobrindo novos achados, então o museu vai se atualizando sempre. Todo o local foi construído para ser um lugar sagrado. A parte térrea, tipo um pátio, era considerada mais ‘pública’, enquanto a pirâmide era reservada aos membros e cerimônias restritas.

Fizemos o passeio à tarde e aproveitamos que já estávamos lá para reservar um horário à noite no restaurante, que fica no meio do sítio arqueológico, todo iluminado. É bem bonito! Pedimos um mix de degustação de entradas e dividimos um prato principal (eles já trazem separado, é só pedir). O menu é criollo, uma comida típica peruana que usa ingredientes locais e se inspira também na culinária espanhola. Não é dos restaurantes mais baratos, mas vale pela experiência do lugar!

• Calle general Borgoño, cuadra 8 | Miraflores
Horários:
Aberto diariamente das 9h às 17h (último tour as 16h)
Ingressos:
12 soles 

LA MAR CEBICHERÍA :: Foi um dos restaurantes que mais me indicaram quando pedi dicas de Lima no Instagram. É do chef Gastón Acurio, o mais famoso do Peru, e realmente é uma sensação na cidade e uma ótima parada para quem quer comer ceviche – e quem não quer estando em Lima?! rs… O local é super agradável, arejado e iluminado. Não fizemos reserva e esperamos cerca de 10 minutos para uma mesa na hora do almoço, super tranquilo. Pedimos uma entrada com 3 tipos de ceviche e um barquinho com degustações de ‘causas’, uma espécie de tapas peruanos feitos de batata com diferentes toppings, bem bom! Os drinks com pisco também são uma delícia!

• Av Mariscal La Mar 770 | Miraflores

LARCOMAR E SEUS RESTAURANTES :: O Larcomar é o shopping mais conhecido de Lima. Pra falar a verdade, foi o único que eu vi, rs… Também fica em Miraflores e é quase todo ao ar livre, com uma vista linda para o mar. É possível encontrar várias lojas gringas por lá, como Banana Republic, Desigual, Converse, Tommy,… mas, sinceramente, eu só fui pela comida mesmo, rs. É que o Larcomar está cheio de opções gastronômicas bem boas, como o KO, fusion de chinês, japonês, coreano, tailandês e vietnamita; o Tanta, um dos restaurantes mais conhecidos de Lima, e o Papacho’s (os 2 últimos também do Gastón Acurio – esse cara domina o Peru, rs). Uma galera me recomendou o Tanta e, realmente, foi um dos meus preferidos na cidade – acabei indo 3 vezes (duas delas no aeroporto de Lima entre conexões). Foi lá a minha primeira refeição na cidade, então é claro que pedi um ceviche clássico com pisco sour para acompanhar! O lomo saltado (dividimos a porção) também é outro prato bem típico (& gostoso) de lá.

• Malecón de la Reserva 610 | Miraflores

CIRCUITO MÁGICO DAS ÁGUAS :: Confesso que não dei nada por esse passeio por achar que seria turístico demais, mas me surpreendi. O circuito nada mais é do que um parque cheio de fontes de água com jogo de luzes, mas os efeitos são bem bonitos, especialmente à noite. Algumas das 12 fontes são só para admirar, outras para interagir. Fato é que não só as crianças se divertem, rs. A única coisa de lá que eu deixei passar foi o show de projeções na água. Não é nada demais e quando deu 3 minutos eu já estava entediada, rs. Mas o resto do parque certamente vale a visita.

• Puerta 5, Parque de la Reserva, Av. Petit Thouars | Distrito de Lima
Horários: Quarta a domingo (e feriados) das 15h às 22:30h
Horário dos Shows: 19:15h, 20:15h e 21:30h
Ingresso: 4 soles – grátis para menores de 5 anos

PARQUE DEL AMOR :: Também situado em Miraflores, o Parque del Amor é uma boa opção de visita para se fazer à pé, caminhando pela orla. É perto do Larcomar, então dá para fazer o passeio no mesmo dia. O parque foi inaugurado em 14 de Fevereiro de 1993, dia dos namorados lá na gringa, como uma homenagem aos casais apaixonados. Além da enorme escultura “O Beijo”, o local conta com jardins bem floridos e inúmeros mosaicos bem no estilo do Parque Güell, do Gaudí. Certamente um lugar romântico para assistir o pôr do sol na praia, rs. Pena que não tinha um crush comigo, hahaha…

• Malecón Cisneros | Miraflores

DÉDALO :: Um misto de loja, galeria e café. A Dédalo fica no Barranco, um dos bairros mais conhecidos de Lima – onde também fica o MATE – em um enorme casarão. Cada cômodo é ocupado por um artista ou artesão e é possível encontrar um pouco de tudo: acessórios, objetos para casa, roupas, livros, brinquedos para crianças, quadros,… No quintal da casa, um lindo café, ótimo para dar uma descansada das andanças do dia. Recomendo passar pela Dédalo no final do dia, tipo antes do jantar, principalmente se você pretende fazer compras e não quer carregar sacolas, rs… Logo na frente da loja fica o Hotel B, luxuoso hotel da cidade recheado de obras de arte. Vale passar lá nem que seja pra tomar um chá ou um drink! ;)

• Saenz Peña 295 | Barranco

DUAS DICAS EXTRAS:

• Pegando táxis: Sempre quando era possível, eu pedia Uber. Funciona super bem na cidade. Poucas vezes eu usei táxi comum, mas vale saber que é recomendado perguntar o preço antes, já que não tem taxímetro. E pechinchar, claro! Essa é uma prática bem comum e os taxistas costumam colocar os preços mais altos quando notam que você é turista. Às vezes dá para pagar até 50% do valor.

• Chip de celular: Comprei o meu em uma loja da Claro em Lima. Tem várias espalhadas pela cidade, principalmente se você precisar de recarga. Escolhi o pacote de 1G e paguei 30 soles, ou seja, menos de 30 reais. Só para vocês terem uma ideia, o quiosque da Claro no aeroporto de Lima vende o mesmo chip por U$54! 😮 Só precisei recarregar uma vez, já no finalzinho da viagem, mas eu uso bastante por causa de trabalho, então 1G dá tranquilamente para um uso ‘norma’, rs…

Bom, aqui ficam as dicas de Lima e o post com a minha experiência no Astrid&Gastón entra nos próximos dias, logo antes das dicas de Cusco! ;) Espero que tenham gostado. Já estou com saudades dessa viagem, rs…

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jun 21, 2017 | Por Mandy em Compras, Dicas, Estilo, Looks, Tendências

Vans Old Skool, inspirações e onde comprar

Quem me acompanha por aqui há um tempo e me segue no Instagram já deve ter percebido que eu sou fã declarada de tênis. Quase não uso salto, exceto pelas minhas Melissas pesadas, meu Converse com salto embutido e os sapatos altos mais ‘finos’ que uso raramente em eventos arrumados.

Sou totalmente a favor do conforto e os tênis estão super presentes no meu dia a dia, seja em produções mais descontraídas, ou nas mais ‘fashionistas’. Eu estou quase sempre de tênis e, ultimamente, não tiro o meu Vans Old Skool do pé. Além dele ser lindo, versátil e combinar com quase todas minhas roupas pretas (#góticasuave), tem o fator “eu consegui” porque oh… ô modelo difícil de encontrar, viu… Fiz diversas buscas online, catei em lojas no Rio e em SP e nada. Até que, totalmente por acaso (ou sorte), fui na SportMix do Rio Sul no dia em que eles receberam reposição deste modelo depois de meses. Em alguns lugares em SP os vendedores me falaram que tem mais de um ano que eles não recebem o Old Skool.

Sei que não estava sozinha nessa busca e que tem mais gente catando ele por aí. Aí, ontem recebi uma newsletter da Loja Vírus com a novidade da reposição do modelo! Então, quem estiver procurando, corre lá porque tem o preto (o mais procurado), em lona e em camurça, e outras opções bem lindinhas também.

Como nunca temos como saber até quando esses estoques duram, tem outras opções na gringa também. A única coisa chata é a taxa de importação, né?! Mas quem tiver viagem marcada, ou puder fazer aquela encomenda experta pra alguém, já sabe, né?! rs…

E se por acaso você não conseguir encontrar esse modelo, a Vans tem diversos tênis bonitos que podem ser uma ótima opção. Eu amo esse de cano alto rosinha! <3

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jun 19, 2017 | Por Mandy em Rio de Janeiro

#StarvingRioTips :: Hotel Mama Shelter em Santa Teresa

No dia em que eu cheguei do Peru aceitei o convite para, finalmente, conhecer o Mama Shelter, em Santa Teresa. Frequento bastante o bairro e estava ansiosa para conhecer o hotel – já tinha visto várias fotos e ouvido falar super bem do restaurante! A filial carioca da rede francesa abriu há alguns meses e também conta com hotéis em Paris, Marselha, Lyon, Bordeaux e Los Angeles!

Logo no lobby já dá para perceber a mistura de estilos e referências que fazem do Mama um lugar descolado e acolhedor. As paredes da recepção foram pintadas por um índio da tribo Huni Kuin, que fica no Acre.

O hotel possui 55 quartos, divididos entre um casarão tombado, com 32, onde fica o restaurante, bar e área externa com chuveiro e espreguiçadeiras, e um prédio com ares urbano, logo do outro lado da rua, com 23 quartos, mais reservados. A proposta do lugar é bem diferente. Sem roomservice, a ideia é que o hóspede curta as redondezas e as dependências do próprio Mama, que fica bem perto do Largo dos Guimarães. Ali do lado tem o Bar do Gomes (dica: a coxinha de mortadela é ótima! rs), o Bar do Mineiro e o Café do Alto (<3). Não muito longe, o Aprazível, o Parque das Ruínas e o Museu da Chácara do Céu. Ou seja, o Mama fica bem no meio do que tem de melhor para se fazer por Santa Teresa.

O restaurante do hotel é aberto ao público e se tornou uma ótima opção para almoço e jantar no bairro, principalmente pelo custo X benefício e pelo ambiente agradável. O chef, que era do ‘Volta’ (adorava!), Fernando Pavan, fez um menu generoso com pratos que combinam ingredientes locais com um toque exótico. Pedi o bolinho de feijoada (R$18) e uma pizza Caprese – Mozzarella, rodelas de tomate caqui, mozzarella de búfula sob pesto de azeitonas pretas e folhas de manjericão (R$36). Estava tudo uma delícia!


café da manhã de hotel, amo/sou <3

Além do restaurante, ainda tem o bar, que é uma coisa de lindo! Também é aberto ao público e sextas e sábados sempre rolam umas baladinhas que parecem ser animadas, rs…


Também te amo, Mama! Obrigada por ter cuidado bem de mim esse dia, rs…

​MAMA SHELTER RIO
Rua Paschoal Carlos Magno, 5 – Santa Teresa, RJ

Restaurante Mama Shelter
12h às 15h/ 18h às 23h (Segunda a sexta)
12h às 17h/ 18h às 23h (Sábado e domingo)

Bar Mama Shelter
Das 18h às 23h (terça e quarta)
Das 18h às 01h (quinta a sábado)
Fechado (domingo e segunda)

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jun 14, 2017 | Por Mandy em Beauté, Dicas, Make, Tutoriais

Maybelline #FaçaAcontecer

Há 2 meses a Maybelline me convidou para um projeto bem legal, o #FaçaAcontecer, com uma série de vídeos de maquiagem para o Instagram e Facebook. A minha relação com a marca é bem antiga (já visitei a fábrica em New Jersey, lembram?) e é claro que aceitei o convite. :)

Foi uma experiência super interessante e desafiadora, já que não tenho a mesma expertise com as câmeras das meninas dos tutoriais do Youtube e confesso que não foi fácil fazer tudo com uma mão só, olhando para um espelho que não estava tão perto, lembrando de fazer carão 💁‍♂️ e me preocupando em fazer movimentos suaves, rs… Tudo junto e misturado, mas deu certo e fiquei contente com o resultado do primeiro vídeo, que teve a proposta de uma maquiagem inspirada na Mulher Maravilha.

Fica a inspiração pro feriado! ;)

Ainda tem mais 2 vídeos pela frente e já lanço um #spoiler de que um deles é de Halloween e tá maravilhoso!! rs… Pena que temos que esperar até Outubro!

Espero que tenham gostado!

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jun 14, 2017 | Por Mandy em Por Aí

#StarvingPorAí no Peru :: Hotel Autor II em Lima

Já vou começar o post pedindo desculpas porque nunca fiquei tanto tempo longe deste espaço! Além da viagem para o Peru (acompanharam no Instagram?! Tá tudo aqui), vários projetos aconteceram assim que eu voltei e os dias parecem que ficaram ainda mais curtos, rs… Como isso acontece?!

Enfim, vem aí uma série de posts “#StarvingPorAí no Peru“, começando por Lima, meu primeiro destino. Confesso que gostei bem mais do que eu imaginava e é claro que o hotel que eu fiquei contou muito pra isso. Situado em Miraflores, o bairro mais legal da cidade, o Autor II foi a minha casa durante 4 dias. Digo casa porque além de ser um hotel boutique todo charmoso, é super aconchegante e com um atendimento todo especial. O Humberto, dono do hotel, é muito atencioso e está sempre presente no hotel para ajudar no que foi preciso – ele deu várias dicas ótimas da organização do meu roteiro de Lima.

Passamos 2 noites em um quarto menor e as 2 últimas em um outro quarto, enorme, rs… Ambos com decorações lindas e cantinhos que parecem ter saído de algum board do Pinterest. Não sei vocês, mas eu sou extremamente visual e isso conta muitos pontos positivos, hahaha! Foi legal ter duas experiências no mesmo lugar e conferir que essa cama maravilhosa está presente em todos os quartos. Sério, era uma missão tentar levantar de manhã cedo. Só ficava mais fácil quando eu lembrava do café da manhã, rs…


Café da manhã de todos os dias nesse pátio lindinho <3

Como o hotel é pequeno, tem apenas 5 quartos, você deixa agendado o seu café da manhã no dia anterior, então era sempre possível sentar nesse ambiente externo agradável. Uma recomendação: a bruschetta de cogumelos e a panqueca com blueberry :9 Foi meu pedido de todos os dias, rs… O café da manhã está incluso na diária, que custa em torno de U$130/150.

Bom, o hotel fica numa área bem legal de Miraflores, onde dá para fazer várias coisas a pé. Vale ‘se perder’ um tempo pelo bairro e explorar as ruas bonitinhas. O Hotel Autor tem duas filiais e eu fiquei na mais recente, que abriu há poucos meses. O Autor I também fica em Miraflores e bem perto do shopping Larcomar, dá para ir andando tranquilamente. Os dois tem a mesma proposta e preços parecidos.

O próximo post da viagem será com dicas das coisas mais legais que fiz em Lima. Podem se preparar que ainda tem muita dica pela frente, rs…

​Autor ii
Av. DE LA Aviación 316 | Miraflores, Lima

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
maio 09, 2017 | Por Mandy em Dicas, Estilo, Looks, Tendências

Desejo: Meias de lurex!

Meia arrastão?! Sim, já falamos dela por aqui… As meias andam aparecidas ultimamente e a da vez é a de lurex. Na verdade, o retorno dela, né? Direto dos anos 70/80. Se antes as meias ficavam camufladas em cores neutras e escondidas por dentro de calças compridas, agora elas são aparecidas. Eu, que nem gosto de um brilho (até parece), já aderi e sigo em busca de mais modelos.

Com calça cropped, com a barra do jeans dobrada, por cima de uma meia-calça, com tênis, botinhas e até sandálias, elas já dominaram o meu Pinterest – e imagino que o seu também. O desejo veio em boa hora, bem quando a temperatura está ficando mais baixa. O legal, é que dá para usar desde produções mais casuais até as mais arrumadas, com sapatos mais delicados, por exemplo – lembram desses looks do desfile de Inverno 2016 da Tommy?! <3

Não basta a botinha ser de glitter, a meia tem que ter brilho também! #SurraDeBrilho @melissaoficial ❤️✨

Uma publicação partilhada por Blog Starving ⭐️ (@blogstarving) a

Eu comprei a minha da Lupo na C&A (foi R$19,90) e esta semana comprei alguns pares no Ali Express. Só espero que não chegue depois que o Inverno passar, rs… Por enquanto, não está tão fácil de achar online. Se alguém tiver dicas, inclusive, eu aceito! 😄


Dumond | Farm | Lupo | Ziovara | Ali Express | Loba

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
maio 05, 2017 | Por Mandy em Por Aí

NY: Lugares perto de Nova York que valem a visita!

A gente bem sabe que Nova York oferece um monte de possibilidades quando o assunto é coisas para se fazer. Dos programas mais clássicos em Manhattan aos spots mais escondidos fora da ilha, dá para viver uma vida aqui e ainda não seria suficiente. É o que mais gosto aqui! E também adoro a localização estratégica da cidade, perto de muitas lugares interessantes, ótimos para as chamadas “day trips” – ou, traduzindo, aqueles passeios rápidos de um dia. Se você já veio muitas vezes para Nova York e está procurando locais diferentes para explorar ou se vai ter um período de viagem mais longo por aqui, vale explorar essas possibilidades. Veja algumas sugestões:

Storm King Arts Center – é uma das maiores referências do mundo em termos de esculturas e instalações modernas ao ar livre. Esse parque fica na cidade de New Windsor, no estado de Nova York, a cerca de 1 hora e 20 minutos de Manhattan. Lá, a dica é andar, andar e andar – e também usar o mini-trem que faz um tour geral por todo o parque. Na minha opinião, a melhor época para visitar o local é no fim de outubro, quando a paisagem de outono cria um contraste lindo com as esculturas! O parque conta com um café, mas eu acho as opções de lanche e almoço bem caídas. Se puder, leve sua comida e faça um piquenique! É bom lembrar que o parque não abre o ano todo (no inverno, o local é fechado). Mais infos no site!

Como chegar? A empresa Coach Usa / Short Line promove tours para o local saindo do Porth Authority Bus Terminal (42th St e 8 Av.). O ônibus sai às 10h da manhã e retorna às 16h45.  A  passagem custa U$46 e já inclui a entrada para o parque.


Kykuit – esse é o nome da residência da família Rockefeller. E costumo dizer que é a nossa versão – humilde – do Palácio de Versalhes… hahaha. Fica na cidade de Sleepy Hollow (upstate NY) e foi lar de  quatro gerações da família, começado com o filantropista John D. Rockefeller, fundador da Standard Oil. Seus negócios fizeram dele o homem mais rico dos Estados Unidos. A residência e os jardins fazem parte do National Trust for Historic Preservation, e vem sido mantidos por mais de 100 anos. Como a residência fica numa área elevada, há uma vista maravilhosa para o Hudson River, esculturas e a paisagem de tirar o fôlego. O lugar é lindo, tanto a casa, quanto os jardins. Você só consegue visitar Kykuit por meio dos tours guiados (em inglês). São vários tipos de tours, e eu recomendo o Classic Tour. Compre o ingresso com antecedência pelo site – custa de U$25 a U$28.

Como chegar? De trem, da Metro-North. Os trens partem da Grand Central e também da estação 125th Street, no Harlem. O destino final é TarryTown. Ao chegar em Tarrytown, pegue um táxi até o Visitor Center – de onde saem os ônibus para Kykuit.

Lavender by the Bay – essa foi uma das minhas descobertas mais felizes aqui  – uma fazenda de lavandas que fica a duas horas de Manhattan! Como não amar? Localizada em East Marion, Long Island, a Lavender By the Bay é uma das maiores fazendas de lavanda dos EUA e pertence a uma família que toca o negócio há mais de 15 anos. São mais de 6 hectares de terra onde são cultivados 20 tipos de lavandas em mais de 80 mil pés da planta. Há três períodos de florada durante o ano. A primeira florada, de lavandas inglesas, acontece em meados de junho e início de julho. A florada francesa, acontece no início de julho e costuma durar duas semanas. A terceira florada, também das lavandas inglesas, que florescem duas vezes, costuma ocorrer no final do verão e início do outorno (ou seja, fim de setembro e início de outubro). O mais bacana é que a fazenda tem uma Fan Page, que é atualizada com o status da plantação. Para visitar o local, é preciso pagar U$5.

Como chegar? A maneira mais prática é alugar um carro.  A viagem é  tranquila – grande parte dela, pela Long Island Expressway. A própria Lavender by the bay também sugere um caminho com transporte público: primeiro, pegue o Long Island Railroad, com destino a Greenport. Ao chegar na estação, você pode alugar uma bike para chegar à fazenda (15 minutos).

Espero que tenham gostado de mais um post meu por aqui! :) Pra acompanhar minhas dicas de NY, é só entrar no meu blog ou Instagram!

Beijos e até a próxima,
Laura

Você também pode gostar
maio 05, 2017 | Por Mandy em Restaurantes

#StarvingRioTips: Pici Trattoria

Há umas duas semanas fui almoçar no Pici Trattoria para comemorar o aniversário de uma grande amiga. Já tinha ouvido falar super bem do restaurante, que fica ali em Ipanema, onde era o Informal do lado da Baronetti (que flashback! rs). De cara, o ambiente já impressiona, é super iluminado e agradável – ainda toca um jazz gostoso de fundo.

Os pratos ficam por conta do chef Thiago Berton, que já passou pelo Maní, aquele famoso restaurante de São Paulo. Num geral, os preços estão abaixo da média desse tipo de restaurante no Rio. Por exemplo, o steak tartare sai por R$ 28, o bolinho de risoto R$ 18 (quatro unidades) e o espaguete à carbonara,R$ 52. Eu não resisti e acabei pedindo o gnocchi ao pesto com creme de burrata e raspas de limão-siciliano, que custa R$ 47,00 e estava realmente muito bom!

Dois drinks igualmente maravilhosos: Moscow Mule e Pici Mule (Gin, frutas vermelhas, lemoncello artesanal, espuma de limão siciliano). 😋


Meu prato, tão bonito e igualmente gostoso, rs…


rigatoni all’amatriciana 🍝 com pancetta crocante 🐷 e pimenta calabresa


gnocchi de parmeggiano – especial do dia


carbonara


polvo grelhado, ladeado por purê de batata-baroa, cebola caramelada e farofa

Só de olhar essas fotos já me dá fome! rs… Fazer post perto da hora do jantar nunca dá certo! Estou doida para voltar lá e provar outras coisas! Alguém

Pici Trattoria
Rua Barão da Torre, 348 | Ipanema

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
abr 26, 2017 | Por Mandy em Series

4 pontos positivos e 4 negativos de Girlboss, a nova série da Netflix

O último domingo estava em condições perfeitas de temperatura, pressão, pipoca e edredom para uma maratona de Netflix. Aproveitei para devorar Girlboss, que estreou no último dia 21, de uma vez só. Ao longo dos 13 episódios, vários pensamentos vieram na minha cabeça. Gostava de algumas coisas e outras me incomodavam. Acho que se essa série tivesse sido lançada 5 anos atrás, provavelmente eu teria adorado e não teria implicado com várias coisas.

Bom, vamos lá. Começando pelos negativos:

A veneração de pessoas idiotas: Eu li o livro e achei que a série pintou uma imagem mais negativa de Sophia. É claro que existem alguns exageros porque é uma interpretação livre para a TV mas, de qualquer forma, é sabido (e ela mesma conta no livro), que roubou diversas vezes e isso passa quase como uma coisa ‘normal’ na série. Do sanduíche da sua chefe ao tapete que estava exposto na calçada, Sophia é vista apenas como uma rebelde sem causa. Isso sem contar outras atitudes bem babacas da personagem, como não se importar com os outros, desrespeitar o trabalho alheio, passar por cima das pessoas e achar que ela pode fazer o que bem entender e f*da-se. E isso é visto como cool. Fico pensando se fosse uma menina negra e pobre se isso aconteceria …

Não é uma série feminista: A série tenta e se vende como, mas não é isso que reflete. Tem algumas falas clichês meio forçadas que não colam. Além disso, a feminista que aborda Sophia e Shane na rua é retratada como se fosse uma descontrolada maluca – e ela ainda é ridicularizada pelo casal. Sophia é extremamente egoísta, passa por cima das pessoas, independentemente de serem mulheres ou não. Cadê empatia? Se vender como empoderadora e colocar um ‘boss’ no nome não faz da série feminista, a meu ver.

A ‘maquiagem’ das histórias reais: Sei que a série já estava em produção há um tempo, antes da Nasty Gal declarar falência, mas vários problemas já rolavam na empresa nos últimos anos. A Nasty Gal possui vários processos nas costas, incluindo trabalhistas (muitos por más condições no trabalho e discriminação), abusos, propriedade intelectual (aka cópias), etc.

Mundo de aparências: Sophia é considerada uma das únicas mulheres ricas dos Estados Unidos que construíram sua fortuna sozinha. Não vou entrar na questão de ‘meritocracia’, até porque acho que ela não chegou lá de uma forma completamente honesta e ela vem de outro contexto socioeconômico. Fato é que mesmo tendo para onde fugir se nada desse certo (o que é um privilégio, convenhamos), ela optou por não depender do pai e seguiu o sonho de abrir seu próprio negócio. Sua história pode realmente inspirar muitas meninas. A Nasty Gal virou desejo de muitas e passou a vender não apenas roupas, mas uma história, principalmente depois do lançamento do livro. Mas com tantos problemas no decorrer da construção da marca e com tudo que tem acontecido nos últimos anos, quem acompanha meio de fora deve achar que é tudo um mar de rosas e que a marca vai muito bem, obrigada. E isso acaba acontecendo demais por aí, né? Ainda mais nesse mundo online…

PONTOS POSITIVOS:

Apesar dos pontos acima, Girlboss é uma série leve, com episódios de 20 e poucos minutos pra assistir quando se está de bobeira – ou num domingo chuvoso, rs. Agora vamos pro que a série tem de melhor:

A trilha sonora: Uma das melhores coisas da série, sem dúvidas! Terminei querendo achar a playlist no Spotify, rs. Tão boa quanto a de Stranger Things. Volta e meia me via balançando a cabeça ‘dançando’ com alguma música. Tem Yeah, Yeah, Yeahs, Nelly, Black Kids,… Vale a pena dar o play! ♫

RuPaul: Na primeira vez que ele apareceu eu pensei: “Não acredito!”. Aí fui dar um Google pra checar se era mesmo. Ele está maravilhoso como o vizinho de Sophia e aparece em vários momentos!

O figurino (e a direção de arte/fotografia): É claro! E por alguns momentos a gente até esquece que a série não se passa nos anos 70, até por conta dos cenários também. São tantas referências da década… Não é à toa que a marca começou sendo “Nasty Gal Vintage”. E sonho com essa jaqueta colorida até hoje. ❤️

Mulheres como protagonistas: Sendo ou não uma série feminista, é sempre bacana ver mulheres como protagonistas. Ok, tem o Shane, que é uma graça, mas ele é tão songo-mongo que nem conta, rs… E a Britt Robertson está ótima como Sophia! Bem parecida fisicamente em alguns momentos, inclusive.

***

Tenho um certo receio e medo de que essa seja uma referência idolatrada para meninas mais novas porque vejo problemas em como a Nasty Gal surgiu e se sustentou. Essa premissa do sucesso a qualquer custo é perigosa e pode ser bem antiética. Ao mesmo tempo, acho super bacana uma mulher construir um império do zero e tão nova, aos 23 anos, e isso inspira muitas meninas. Já fui em duas palestras da Sophia Amoruso na época em que morava em NY e é absurda a quantidade de garotas (de todos os tipos) que se fascinam com a sua história. Sophia lançou uma nova empresa, também chamada Girlboss, que ajuda novas empreendedoras e, inclusive, já deu mais de 100 mil dólares em bolsas de estudo para meninas nas áreas de design, moda, música e artes.

Isso tudo pode inspirar? Claro que pode! Mas também é meio frustrante. Vivemos em uma geração que acredita que temos que chegar aos 30 com toda a vida resolvida, um case de sucesso embaixo do braço e uma conta bancária com vários dígitos azuis no fim do mês. E nem sempre isso acontece – ou tem que acontecer. O grande sucesso da Nasty Gal aconteceu relativamente rápido e isso é uma exceção. Não pode virar regra, nem exemplo.

***

Vale a pena assistir?! Vale. Tanto pelos pontos positivos, quanto pelas reflexões. Quero a opinião de vocês sobre a série. Gostaram?!

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
abr 25, 2017 | Por Mandy em Beauté, Cabelos, News

Como eu uso o Hair Touch Up da L’Oréal

Há alguns meses esse spray chegou aqui em casa e chamou a minha atenção. O objetivo do Hair Touch Up, da L´Oréal, é cobrir fios brancos ou alguns dedinhos de raiz por fazer. Vem em 4 cores: Dark Blonde, Light Brown, Brown e Black. Como meu cabelo é virgem e quase não possuo (ainda) fios brancos, acabei usando para outra finalidade.

hair-touch-up-cabelo-spray-loreal-cabelo

Eu não sou uma pessoa com pouco cabelo, mas sempre que faço algum penteado fico com algumas “falhas” deixando o couro cabeludo aparente – e isso me incomoda bastante. Aí que entra o Hair Touch Up! Uso o spray para colorir o couro cabeludo de marrom, rs… E dá super certo!

É uma mão na roda e faz muita diferença, mas existem alguns cuidados/ressalvas:

  • Tomar cuidado na hora da aplicação para não sujar o rosto – aconteceu comigo e foi meio chato de remover, ainda mais porque eu já estava maquiada e pronta para sair de casa. O ideal é passar com uma certa distância e proteger o rosto de alguma forma.
  • É possível que escorra caso você pegue chuva. Isso não chegou a acontecer comigo, mas da primeira vez que usei esqueci que estava com o produto na cabeça e acabou escorrendo pro meu rosto na hora do banho, rs… Então vale o cuidado na hora de lavar o cabelo.
  • Imagino que não seja bom usar regularmente, assim como o shampoo seco ou qualquer outro produto que entupa os poros onde nascem os fios.
  • O preço. Não é lá muito barato, cerca de R$90 para 75ml, mas até que dura bem. Se bem que eu só uso quando faço penteados, então…

Apesar dos pesares acima, rs, eu estou adorando usar mais penteados ultimamente. Ando num momento meio Ariana Grande, confesso! haha

Já está à venda em vários lugares por aí: já vi em salões, quiosques em shopping e online – tem aqui por R$84,79.

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
abr 18, 2017 | Por Mandy em Estilo, Looks, News

A segunda coleção da Joulik pra C&A

A Joulik é uma daquelas marcas que eu não tenho nada, mas AMO de paixão! rs… Na verdade, tenho várias peças da primeira parceria com a C&A. Pensando bem, se juntar tudo que gastei na época, daria pra comprar uma peça da coleção própria da marca, haha… Aquela que não se aguenta e gasta tudo em ~brusinha. Mentira, também comprei calça e jaqueta. Mas fato é que eu me identifico demais com tudo que elas fazem. Parece que todas as peças foram feitas pensadas em mim. #leonina 

E a boa ótima notícia, é que tá vindo uma segunda coleção com a C&A por aí!!! A pessoa tá aqui no canto dela tentando ser menos consumista, praticando a Marie Kondo, e aí isso acontece. Ferrou.

É só clicar nas imagens da galeria abaixo pra conferir todas as peças e preços:

Já tô aqui fazendo as contas de quanto eu vou desembolsar nessa brincadeira. Se for que nem a primeira, a qualidade e acabamentos prometem ser bons. Pelo menos que eu me lembre e pelas peças que eu tenho, os bordados são super bem feitos e os paetês têm cara de “rico”. Só não entendo porque não rolou as meias bordadas. Tava torcendo para elas entrarem na parceria desde a coleção passada.

Eu não costumo ficar tão ansiosa com esse tipo de coleção mas esta, mais uma vez, ganhou a minha atenção.

Meus desejos: a botinha de glitter (por motivos óbvios), a legging de paetês, a legging com zíper na frente (amei!), esse body de veludo (que nem sei como usaria, mas achei lindo), a bolsa holográfica e a jaqueta de paetês prata e colorida (que vai permanecer no plano do de$ejos mesmo).

A parceria chega no site da C&A no dia 25 de maio e em lojas selecionadas do Brasil, a partir do dia 30 de maio.

Mais alguém aí entrando em desespero?!

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
abr 17, 2017 | Por Mandy em Starving recomenda

Outros jeitos de usar a boca – uma das melhores coisas que já li

Uma das minhas 17 metas pra 2017 era ler mais. Eu adoro comprar livros mas, na maior parte das vezes, abandono no meio e emendo em outro. Já tinha ouvido falar sobre “Outros jeitos de beijar a boca”, da Rupi Kaur, e na última sexta peguei emprestado com uma amiga que tinha acabado de ler (vlw, Isa!). No sábado li tudo em uma hora e acho que estou até agora digerindo tudo.

lembra desta foto?!

Rupi Kaur é uma poeta feminista nascida na Índia e que mora em Toronto desde os 4 anos. Ela começou como uma Instapoet, postando suas belas palavras e ilustrações no Instagram. Lembram desta foto acima?! Que o Instagram tirou do ar tudo mais… Então, é a própria. Rupi fez uma série de fotos descritas como ‘poesias visuais’ para quebrar os tabus sobre a menstruação.

Ela lançou seu primeiro livro em 2015, chamado Milk and Honey – que para nós veio como “Outros jeitos de usar a boca” – e que ficou mais de 40 semanas na lista dos mais vendidos do The New York Times!

Rupi fala com coragem sobre temas dolorosos como amor, dores, racismo, feminismo, paixões, amor próprio, sexo,…  O livro é dividido em quatro partes: dor, amor, ruptura e cura, mostrando todo o empoderamento feminino em cada uma delas.

Acho que nunca tinha lido um livro de poesias. Não que eu me lembre, pelo menos. Na verdade, faz tempo que não leio algo que tenha me tocado tanto.  A escrita de Rupi é muito direta e verdadeira e por ser jovem (ela tem apenas 22 anos!), consegue mostrar tudo de forma muito íntima. Me identifiquei em muitos momentos (com certeza você também se identificaria), o que me fez ficar com nó na garganta e lágrimas nos olhos durante toda a leitura. É um livro pesado e delicado ao mesmo tempo. Aquele soco no estômago necessário.

Terminei a leitura mandando mensagens para várias amigas: “Você PRECISA ler esse livro”! Na verdade, acho que toda mulher deveria tentar ler, mesmo!

Alguém aí compartilha do mesmo encantamento que o meu?!

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
abr 10, 2017 | Por Mandy em Restaurantes, Rio de Janeiro

#StarvingRioTips: O novo Canastra Bar!

O Canastra, em Ipanema, já era um ‘boteco diferenciado’, digamos assim. No lugar do chopp ou cerveja de garrafa, os vinhos, espumantes e sangrias – que têm preços acessíveis, começando em R$66, R$55 e R$30. Sempre foi um lugar descontraído, seja nas mesas na calçada ou na muretinha que fica em frente ao bar. Se já era um lugar concorrido para beber com os amigos, agora o Canastra amplia, literalmente, seus horizontes.

Além do espaço no nível da rua ter aumentado, – eles compraram o endereço que ficava ao lado – o bar agora conta com um subsolo digno de cenário de filme. Com objetos adquiridos em antiquários, poltronas de veludo e até uma cama (!), o lugar é ideal para comemorar aniversários ou desfrutar de uma boa música nos eventos que rolam por lá (tem a programação aqui). Diria ainda que seria um ótimo ambiente para fazer date, rs… #crush

Com a Samara, amiga linda que comemorou o aniversário dela no subsolo do Canastra no mês passado – foi quando conheci a ‘nova versão’ do bar.

No cardápio, porções para dividir. Tem caponata de legumes, ostras, frios (queijos e embutidos), ceviche,… Eu comi o polvo e a burrata e ambos estavam muito bons. Dica: pedir para esquentarem o pãozinho – faz diferença! Os preços variam entre R$12 e R$26, o que acho bem ‘ok’ para um lugar tão bacana no meio de Ipanema.

Canastra Bar
Rua Jangadeiros, 42 – G | Ipanema, Rio de Janeiro

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
abr 07, 2017 | Por Mandy em Dicas, Estilo, Looks, Tendências

Desejo: jaqueta jeans longa

Eu sou o tipo de pessoa que AMA jeans, principalmente jaquetas – sempre ando com uma amarrada na cintura. Tenho uma com cada tipo de lavagem e modelagens diferentes. Há algumas semanas, fui no lançamento da coleção nova da Eva (uma das coleções mais bacanas e bem trabalhadas que eu vi nos últimos tempos), e meu olho bateu – e amou – uma jaqueta jeans bem longa, quase uma parka. Aí, na mesma semana, vi um modelo muito parecido na Forever 21, mas já estava esgotado. #fuén 😓

Com shortinhos, saias curtas, vestidos fluídos ou calça skinny, essa jaqueta longa é praticamente um ‘estilizador’ instantâneo. Às vezes sinto falta de uma terceira peça e pronto, só pegar uma jaqueta jeans que dá jeito. Dependendo do modelo, quando usado todo fechadinho, funciona até como vestido!


Torcendo para que a Forever traga esses e outros modelos pra cá!
#PleaseComeToBrazil 😅

Sigo em busca de uma para chamar de minha. Seria o tipo de peça que faria parte de mim no não muito rigoroso inverno carioca, rs…

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
mar 30, 2017 | Por Mandy em Música

Música: Chance The Rapper!

Uma das coisas mais legais em festivais é conhecer novos artistas. Ano passado, quando estive em NY, fui no The Meadows (aquele festival que o Kanye West saiu no meio por causa do ‘sequestro’ da Kim Kardashian) e uma das grandes surpresas foi o show que antecedeu o do Kanye. Fiquei impressionada com a empolgação da galera para um nome que eu não conhecia ainda: Chance The Rapper. Curti o show como se conhecesse todas as músicas e no dia seguinte já estava ouvindo no Spotify.

Chance é um garoto de Chicago de apenas 23 anos. Um artista independente que libera suas músicas de graça na internet e que não quer ‘se vender’ para uma gravadora.

Ah, já falei que ele tem 3 Grammys no bolso?! Pois é… Seu último álbum, Coloring Book, indicado em 7 categorias, levou “Revelação do Ano” (feito histórico, já que o último artista negro de hip-hop que venceu a categoria foi Lauryn Hill, em 1999!), “Melhor Álbum de Rap”, desbancando ‘Views’, do Drake, e ‘Life of Pablo’, do Kanye West, e “Melhor Performance”!

E o que Chance tem de tão especial?! Ele vai na contramão do rap/hip-hop e mostra muita positividade em suas letras, além de melodias com pegadas diferentes – rola até um jazz misturado. Sem contar que ele tem um carisma imenso e não carrega aquele estereótipo pesado e marrento que os rappers geralmente têm. Isso acaba refletindo até no estilo dele. Arrasa, Chance! 👍


A performance dele no Grammy 2017

Chance faz parcerias com vários artistas, incluindo Justin Bieber, Kendrick Lamar, Lil Wayne, 2 Chainz, Kanye West, Future,… Ainda não conhece?! Então dá uma olhada nos vídeos acima e na lista aqui embaixo – e me agradeça depois, haha! 😉

Esses vídeos só me dão mais vontade ainda de ver um show dele ao vivo de novo. Na semana passada, o pessoal do Queremos! convocou a galera pra votar e trazer o Chance pro Brasil. Vamos ajudar e fazer isso acontecer?! Nunca te pedi nada! rs… 🙏 É só clicar aqui!


You go, Chance!

Beijos,
Mandy

mar 29, 2017 | Por Mandy em Beauté, Dicas, Make, Por Aí, Unhas

NY :: Novas lojas de beleza!

Sim! É isso mesmo que você está vendo: um post sobre NY! rs… Sei que tem tempo que não rolam posts da cidade por aqui – os últimos foram de quando estive lá em Setembro/Outubro do ano passado para buscar minhas coisas. Para quem é novo por aqui, eu morei lá durante 4 anos, então tem muito post legal da cidade nos arquivos do blog. Para dar continuidade às dicas, convidei a Laura Peruchi, que tem um blog super bacana com dicas da cidade – inclusive, a conheci quando eu ainda morava lá. As dicas da Laura são ótimas e a minha ideia é revezar com outros posts meus sobre NY. Acredite, ainda tenho vários posts que poderia fazer sobre aquele lugar maravilhoso, rs… Bom, então vamos lá! Seja bem-vinda, Laura (btw, tô com saudades! rs).


Oi pessoal! Este é meu primeiro post aqui no Starving – fiquei muito feliz quando a Mandy me convidou para colaborar com posts sobre Nova York. Moro na Big Apple desde 2014 – e conheci a Mandy quando ela morava por aqui. Sou jornalista e escrevo sobre a cidade diariamente no meu blog (www.lauraperuchi.com), com dicas do que fazer, onde comprar, onde comer, etc. A Mandy sempre compartilhou conteúdo relacionado a Nova York aqui e a ideia é dar continuidade a esse espaço.

Atire o primeiro batom quem nunca aproveitou uma viagem ao exterior para fazer comprinhas de beleza. Por mais que a gente tente evitar, é impossível resistir à tentação de tantas lojas bacanas de cosméticos que existem aqui! Nova York é um verdadeiro paraíso nesse quesito e suas opções vão além das farmácias e da Sephora. Hoje, resolvi apresentar para vocês as várias lojas que abriram nos últimos tempos por aqui. 2016 marcou a abertura de muitas lojas na cidade, principalmente de marcas famosas que abriram espaços próprios na Big Apple. Preparem-se para incrementar o roteiro!

A Nyx, que tem presença forte nas farmácias e na Ricky’s, agora conta com três lojas próprias na cidade: uma no Brooklyn, outra no Queens e outra em Manhattan, que fica na Union Square e é enorme, super iluminada, com bancadas lindas para testar os produtos e tablets para você conferir tutoriais e dicas. O mais bacana é que dá pra encontrar todos os produtos da marca (incluindo pigmentos, pinceis e glitters).

Endereços: Manhattan – 41 Union Square West / Brooklyn: 5100 Kings Plaza (Kings Plaza Shopping Center) / Queens: 90-15 Queens Blvd (Queens Center Mall).

Outra marca que vale a pena destacar é a Kiko! A maioria conhece os produtos por conta das inúmeras lojas na Europa, mas pouca gente sabe que há lojas também nos EUA, inclusive em Nova York. Os produtos da Kiko têm preços acessíveis e a qualidade é ótima – eu sempre fico babando nas coleções especiais. E sempre há promoções rolando! O batom Unlimited Stylo é o meu favorito!

Endereços: Manhattan – 185 Greenwich St (Westfield World Trade Center Mall) / Brooklyn: 5100 Kings Plaza (Kings Plaza Shopping Center) / Queens: 90-15 Queens Blvd (Queens Center Mall).

Essa notícia também é ótima: Nova York agora tem loja da Kryolan! A Mandy antecipou essa novidade há alguns anos num post no Instagram, mas por problemas burocráticos com o local, a inauguração demorou bastante. A Kryolan é uma das marcas mais respeitadas e famosas entre os maquiadores profissionais. As fórmulas são altamente pigmentadas e com cores intensas, além de oferecerem longa duração.

Endereço: 277 Bleecker St.

Também não dá pra deixar de falar sobre o espaço da Glossier! Sensação nas redes sociais, a marca  nasceu do famoso blog IntoTheGloss.com. A fundadora Emily Weiss criou a Glossier para desmitificar a beleza e criar produtos fáceis de serem usados, inspirados pelo conteúdo e interação de seu blog. Cada lançamento causa frisson na internet – as resenhas não mentem e alguns produtos foram premiados por revistas como a Allure e a Teen Vogue. O Balm Dotcom é o melhor Lip Balm que já usei! Recentemente, a marca abriu o seu showroom para o público aqui em Nova York. O espaço é lindo e você pode experimentar e comprar todos os produtos.

Endereço: 123 Lafayette Street (último andar).

 

A Make Up For Ever que já tinha uma loja na cidade – inaugurou um espaço muito mais moderno no Upper East Side. Trata-se de um conceito novo de loja que já existe em Londres e Paris – que exibe os produtos traduzindo as últimas tendências para os clientes, além de oferecer aulas de make e design de sobrancelhas.

Endereço: 731 Lexington Avenue

E não podemos esquecer da inauguração do espaço da Charlotte Tilbury na Bloomingdale’s. Charlotte Tilbury é uma maquiadora inglesa super prestigiada e sua marca própria,  tem o mesmo respeito no mundo da maquiagem e seus produtos são conhecidos pela alta qualidade.  São mais de 100 produtos – base, pó, batons – além de uma linha de skincare, que inclui o famoso Charlotte’s Magic Cream, um favorito das passarelas e red carpets. Em Londres, a marca tem uma loja própria linda – bem que podiam abrir uma aqui em Nova York também, né?

Endereço: 1000 Third Avenue (Bloomingdale’s).

E para as fãs da Ulta, aguardem: finalmente, teremos Ulta Beauty em Manhattan! A rede de cosméticos famosa nos EUA vai abrir uma unidade no Upper East Side em 2017 (a previsão é para o outono), numa região que conta com Sephora, Ricky’s e outras lojas de cosméticos. Por enquanto, a única loja da rede aqui na cidade é no Queens, no Rego Center.

Uma última dica: em dezembro, eu lancei o aplicativo NYC Beauty que reúne várias lojas de cosméticos de Nova York, divididas em categorias. A ideia é que o app seja o seu guia para compras de beleza na cidade, com informações, dicas, endereços, telefones e fotos. Por enquanto, o app está disponível para iOS e vocês também podem acompanhar news pelo Insta @nycbeautyapp!

Espero que tenham gostado das dicas! ;)

Beijos,
Laura

Você também pode gostar
mar 23, 2017 | Por Mandy em Por Aí, Restaurantes

#StarvingEmSP: Combo gordo do mês – Bullguer + Davvero 🍔 🍦

No último final de semana estive em São Paulo para a minha aula na Escola Madre. É claro que além de trabalho, aproveito para tentar conhecer lugares diferentes na cidade. Minha amiga paulista Nathalie (❤️), que sempre sabe as boas, volta e meia me dá ideias de pautas. Uma delas, foi fazer posts de combos gordos uma vez por mês. Resumindo, um hambúrguer e um sorvete fazendo um par perfeito por aqui, rs… Então, por que não começar falando dessas maravilhas que eu conheci recentemente na terra da garoa!?

Lembram que eu tinha falado sobre o Cabana Burger parecer o Shake Shack?! Então… esqueçam! rs… Bom, ele tenta (e MUITO) parecer com a versão original americana, mas uma coisa ainda é muito diferente: o pão (até falei disso no post). O Bullguer, apesar de não fazer nenhuma referência ao Shake Shack, parece bastante! Pedi o Bullguer (R$20 – Pão, Carne, Queijo, Picles e Molho) e a expectativa, que já era alta, foi superada. Sério, divino! Simples e maravilhoso. Para combinar, uma Fritas Crinkles, temperadas com páprica e uma limonada com cranberry. Vale a visita e a espera que, para nós, num sábado a noite, foi de 40 minutos.

BULLGUER

• Rua Fradique Coutinho, 1136 – Vila Madalena São Paulo – SP – Tel: (11) 3360.4703
• Rua Traipu, 156 – Perdizes São Paulo – SP – Tel: (11) 3865.4648
• Av. Brigadeiro Faria Lima, 2232 Viena Delish – Piso Térreo – Jd. Paulistano São Paulo – SP – Tel: (11) 3815.4933

Já a Davvero, foi dica do meu tio, que mora em SP há uns 8 anos. Segundo ele (e a Veja Comer&Beber de 2015/2016 e de 2016/2017), é o melhor sorvete da cidade. Confesso que a casquinha recheada com chocolate e o sorvete de crème brûlée fizeram jus aos títulos, hein… Os sorvetes são preparados diariamente, com receitas que seguem o modo de produção do gelato tradicional italiano. Fomos na loja do Itaim, que estava bem cheia, porém o atendimento é rápido. Mas também tem outra filial no Shopping Iguatemi.

DAVVERO
• R. Pais de Araújo, 129 – Itaim Bibi
• Shopping Iguatemi SP – Piso Térreo

Espero encontrar uma dupla tão boa quanto esta no mês que vem! rs…

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
mar 21, 2017 | Por Mandy em Compras, Dicas, Estilo, Looks, Tendências

Acessório de Inverno: Botinhas de veludo!

Ontem o Outono chegou oficialmente em nossas terrinhas, mas já tem uns dias que as temperaturas estão mais baixas – cheguei a pegar 17º em SP no último final de semana. E mesmo aqui no Rio, o calor já não está mais tão de matar assim. 🙌 De qualquer forma, não é em todo o lugar que a gente vai conseguir usar uma das maiores apostas para o Inverno: o veludo molhado. E qual a melhor forma de colocar a tendência em prática?! Acessórios! Mais especificamente: botas.

Não vejo a hora de tirar minhas botas e roupas mais pesadas do armário. Mesmo no Rio, o Outono e Inverno possibilitam produções mais elaboradas, com camadas e tecidos mais estruturados. Sempre gostei de veludo molhado. Sei que muita gente torce o nariz, mas tenho achado essas botinhas tão gracinha! Ainda mais com jeans e saias, botando as pernocas pra fora. Não sei se vocês já repararam, mas elas já estão em várias lojas. Essas foram só algumas que encontrei online:

Clicando nesse “+” dá para ver o preço e acessar a loja online correspondente ao produto! Achei isso tão moderno, rs!

E para os dias mais frios, por que não um modelo de cano alto over the knee?! Eu adoro! Inclusive, recentemente usei com um camisetão de baseball como vestido e curti bastante! Já quero repetir, rs…

Adoro botas porque vão desde os dias frios até os não tão frios assim, rs… Mas no caso dessas de veludo, o problema é molhar, né?! Na chuva compAliás, nunca usei aqueles sprays impermeabilizantes, valem a pena? Funcionam?!

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
mar 15, 2017 | Por Mandy em Música

Música :: Anavitória, novo vício!

Nossa, há quanto tempo estou pra fazer este post, rs… Este e outros, né? O tempo anda curto por aqui. Bom, mês passado o pessoal do Queremos me chamou para a leva de shows da temporada Tropical na Varanda do Vivo Rio. Foi aí que eu conheci a dupla tocantinense Anavitória. Comecei a ouvir alguns dias antes do show e viciei instantaneamente.

A banda das meninas Ana Clara Caetano e Vitória Falcão toca, como elas mesmas chamam, um “pop rural”, com uma pegada folk deliciosa. As duas se conheceram na escola e acabaram se aproximando por causa do interesse mútuo pela música. Na flor dos vinte e poucos anos, as duas começaram na internet, esse mundo tão maravilhoso e democrático que abre portas pra uma galera mostrar o seu talento (são mais de 5 milhões de views no Youtube!). Numa dessas, um vídeo das meninas caiu nas mãos do Tiago Iorc, que se encantou e produziu um EP, ‘Singular’, que teve mais de um milhão de views no Facebook em um só dia! Depois disso, a legião de fãs aficionados só aumentou. O primeiro álbum foi lançado em Agosto do ano passado, fruto da arrecadação de 60 mil reais no Catarse, um crowdfunding. O CD ficou incrível! As letras são poesia, as melodias ótimas e as duas uma graça!

Além da música doce, as duas esbanjam estilo e personalidade, seja nas roupas fluidas e delicadas de cores neutras ou nos cabelos e makes ‘ao natural’. Ah, e elas ainda são fãs de glitter nas produções, então já me identifiquei de cara! rs…

É tanto talento, simpatia e simplicidade que fica difícil não se encantar pela dupla. Fiquei impressionada com a quantidade de fãs no dia do show – foi o mais cheio da temporada Queremos! Tropical, desbancando até a Karol Conka.

Agora vem se apaixonar também:


A minha preferida <3


Anavitória no Instagram | no Spotify

Mais alguém aí viciado?! rs….

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
mar 08, 2017 | Por Mandy em Beauté

Sobre micropigmentação na sobrancelha

Nossa, eu perdi a conta de quantos posts já fiz aqui no blog testando produtos para preencher a sobrancelha. Comentei inúmeras vezes que a minha é super ralinha e curta, então sempre, SEMPRE, usei lápis, sombra ou rímel para deixá-las mais definidas. Não tem jeito, sobrancelha é uma coisa que realmente muda a expressão e eu me sinto outra pessoa quando ela está feita e preenchida. Só que, com o uso desses produtos todos, eu senti que os pêlos começaram não só a cair, mas pararam de nascer. Isso acontece por causa da cera presente na grande maioria desses produtos, principalmente nos lápis. Aí vai virando um ciclo, porque as falhas ficam maiores e a gente acaba sentindo mais necessidade de preencher.

Para solucionar essa questão, eu finalmente decidi fazer micropigmentação. Quase não faço procedimentos, mas essa era uma vontade que sempre tive desde que soube que esse tipo de serviço existia. Não sei se vão lembrar, mas eu já fiz micropigmentação na cicatriz da minha redução de mama, então esse processo não era completamente novo pra mim.

Bom, mais uma vez procurei o Studio Blink, que pra mim é referência nesses serviços aqui no Rio (coloquei cílios lá, lembram?). Eles marcaram minha sessão com antecedência com a Juliana Prats, que vem direto de Floripa e atende por lá uma vez por mês. Ela é FERA e faz um desenho super natural, bem do jeito que eu gosto.

O meu medo imediato era ficar super marcado e vermelho porque eu tinha um cinema direto dali, rs. A foto foi logo em seguida ao fim do procedimento, que não durou nem uma hora (contando com o tempo que leva para fazer as marcações com lápis). O pouco do rosado que ficou sumiu em alguns minutos e saí de lá me achando com a minha nova sobrancelha maravilhosa! 😏

É claro que pro resultado ficar bacana é preciso ter alguns cuidados e o pessoal do Studio Blink explica tudo direitinho e ainda te dão essa pomada específica para micropigmentação da Haut que ajuda na cicatrização e prolonga o efeito. A duração vai depender de diversos fatores como: o tipo de pele da pessoa, os cuidados que ela teve e a rotina de cada uma. Mas, de uma forma geral, costuma durar de 8 meses a um ano.

Entre os primeiros 30 a 60 dias o Studio oferece, gratuitamente, um retoque para cobrir possíveis falhas ou traços que ficaram mais claros que o resto depois que a ‘casquinha’ cai. Dá para notar que nos primeiros dias após a micro o efeito fica mais escuro e com uma espécie de ‘crostinha’ nos pêlos. O efeito real aparece mesmo depois de alguns dias da cicatrização.


Um mês e meio após a micropigmentação – ainda sem o retoque


Olha ela, toda ~contentínea~ de sobrancelha bonita! 😄

O melhor disso tudo é a liberdade de usar menos maquiagem e me sentir sempre ‘arrumada’ com a sobrancelha intacta 24h por dia. Pra quem vivia dependente dos produtos de preenchimento, a micro é um adianto e tanto! Posso suar, entrar na piscina, sair de cara lavada que ela vai estar ali, fazendo seu papel de moldura do rosto. Um baita ‘boost’ de autoestima!

Quem quiser entrar em contato com o Studio Blink, vou colocar as infos aqui embaixo! ;)

Studio Blink
R. Maria Quitéria, 121 | 3502-9761

Beijos,
Mandy

 

Você também pode gostar
mar 03, 2017 | Por Mandy em Beauté, DIY, Estilo, Make, Tutoriais

Resumo do melhor carnaval de todos os tempos

Olá, meu nome é Amanda, sou dona deste blog, estou viva, porém me recompondo depois do carnaval. Após diversos tutoriais e montações, venho aqui fazer um apanhado geral, afinal, ainda tem blocos pós-carnaval rolando e inspiração nunca é demais, não é mesmo?!

Esse meu carnaval teve de tudo: vários blocos de rua, Sapucaí, Baile do Copa e até subi em cima de trio elétrico! Só faltou desfilar em alguma escola de samba, mas aí essa missão fica pro ano que vem.

Porque se não for pra brilhar eu nem saio de casa… ✨🎄 #CarnaStarving #MinhaLuzÉdeLed

A post shared by Blog Starving ⭐️ (@blogstarving) on

 Sim, minha roupa piscava! Pode dar play! rs…

 Um registro que achei por aí do Tecnobloco – a.k.a., o melhor bloco de carnaval de todos os tempos! Só quem foi sabe… mais de 13km andando e correndo ao som de tecnopop, fantástico e inesquecível!


Ainda teve trio da Preta a convite da Antárctica e das minhas lindas d0 Futi #paposobreautoestima

Bom, e o que falar do melhor carnaval de todos os tempos?! O meu primeiro carnaval de verdade?! Que foi incrível seria pouco! Encontrei pessoas maravilhosas, conheci pessoas maravilhosas e fui nos melhores blocos de rua que este Rio de Janeiro já viu. Foi o carnaval do “não é não”, das mulheres expondo seus corpos como têm vontade (eu, inclusive! o/ #FreeBoobs), sem medo, sem padrões impostos, da libertação, da aceitação, de todo mundo junto. Foi lindo! Amei cada menina que me parou para falar das minhas fantasias e dos tutoriais, amei cada uma que me mandou foto e amei cada comentário deixado no Instagram. <3

Ontem vi esse texto do Raphael Pavan no Facebook. Aproveito para compartilhar por aqui porque não poderia descrever meu carnaval da melhor maneira possível:

“Você ainda acha que existe outro carnaval melhor no mundo? Depois de tudo que eu fiz por você?

Eu fiz purpurina virar a sua segunda pele, às vezes até a primeira. E te fiz chegar no trabalho hoje sem vergonha de perceber que não era o único. Te ensinei na marra que o nome é quaresma porque são 40 dias até sair todo o glitter.

Eu fiz você perguntar se a água na garrafa era pura mesmo. Uma vez, duas vezes, todas as vezes. Fiz você achar que nunca mais ia dormir.

Invadi Santos Dumont, MAM, Praça Paris, colori o centro da cidade. Fiz todo mundo lembrar que a cidade é nossa e andar por ela inteira pra provar. Fiz você desafiar os limites do seu corpo e lembrar que dá pra descer Santa Teresa a pé sim. Mesmo que o seu almoço tenha sido salsichão pelos últimos 4 dias.

Eu fiz oca indígena virar ponto de encontro. Fiz você achar que todo dia ia ter Amigos da Onça surpresa de novo. Fiz bloco secreto não ser mais segredo pra ninguém e bloco sem nome roubar a cena. Mas ó, não espalha hein!

Fiz você dar a mão pra estranhos pra proteger músicos que nem conhece mas já considera pacas. E nunca esquecer de pagar bebida pra eles. Fiz jardineiro de purpurina ser idolatrado, pernas de pau serem reverenciadas e tiazinhas fofinhas na janela serem aplaudidas.

Te fiz acreditar da onipresença do sacolé do Barão, perguntar como o bloco das trepadeiras tá sempre na frente da banda e até questionar sua sanidade mental ao ver os mesmos músicos em seis blocos seguidos.

Fiz grupo de whatsapp quebrar o recorde de mensagens por dia. Eu fiz você discutir apropriação cultural, letra de marchinha e esfregar que “não é não” na cara de quem ainda precisa aprender.

Às vezes, fiz você esquecer do Crivella, do Pezão, do Temer. Outras, fiz você lembrar e cantar ainda mais forte por isso.

Te lembrei que minha alma é marchinha mas que ela também ama axé, funk, techno e até Carinhoso e What Wonderful World sentadinho no chão. Enalteci músicos veteranos, batizei entrantes e renovei nossa festa por mais um bom tempo.

E pra não perder o costume: recebi quem é de fora como se fosse daqui. Voltem sempre. E lembre-se, o melhor jeito de ir embora do Rio é de Boi Tolo. Ah, e de nada por você não ter que usar abadá. Eu até caprichei no tempo nublado esse ano. Acostuma não.

No mais, fiz tudo que eu pude pra lembrar porque a cidade é maravilhosa, cheia de encantos mil e eu sou um deles.

É claro que você ia sobreviver. Eu não te mato, te faço mais forte.

Eu sou o carnaval de rua carioca. E ai de quem me trocou por Olinda! Salvador? Pfff. O Nordeste que me desculpe, mas o carnaval do Rio é fundamental.

Parem de decretar a minha morte porque você não gostou de um bloco ou outro. Eu não vou piorar, eu não vou acabar, eu sou imortal.

E de uma vez por todas, esqueçam a música do Los Hermanos, carnaval não tem fim. Quem me ama sabe onde me encontrar o ano inteiro porque tem certeza absoluta que essa fantasia é sim eterna.”

O carnaval me rendeu, até agora, 2 dias de cama com febre pra lá de 38 e uma tosse chata, mas eu não me arrependo e estou tentando me recuperar a tempo de aproveitar o pós-carnaval no final de semana, rs… Espero que tenham gostado do #CarnaStarving e em 2018 tem mais!

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
fev 24, 2017 | Por Mandy em Estilo, Looks, Tendências, Tutoriais

DIY de Carnaval [7]: Pochete!

No post do Guia de Carnaval parte 2, eu postei a dica de uma lojinha no Saara que vende pochetes por R$4! Na verdade, são doleiras mais arrumadinhas e ótimas para serem customizadas. Eu tô adorando usar pochetes no carnaval. Não tem coisa melhor (e mais segura) do que ficar com as mãos livres.

Bom, resolvi customizar uma que comprei com alguns dos materiais que tinham sobrado dos tutoriais anteriores.

Mais um acessório estrelado, porque sim! rs…⭐️ Costurei a franja e a fita de paetês ao redor da parte principal da pochete e colei as estrelas e paetês com cola quente mesmo – a minha melhor amiga! 😜 Para facilitar o “abre/fecha” do zíper, fiz um penduricalho com canutilhos.

Tenho visto uma galera pintando pochete com jet metalizado, o que também é uma opção, mas resolvi fazer diferente, até porque só o jet custa quase R$30, o que seria muito perto do preço de uma pochete da Renner ou C&A, então achei que não valeria a pena. Preferi usar sobras de materiais que já tinha em casa.

Carnaval já tá aí e ainda quero subir um último tutorial no Domingo. É de uma cabeça que fiz para usar em um evento amanhã, então fiquem de olho porque não acabou! rs… #CarnaStarving segue com tudo!

Espero que estejam gostando!

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
fev 21, 2017 | Por Mandy em Dicas, Estilo, Tutoriais

DIY de Carnaval [6]: Porta cerveja! 🍺

Não para, não para, não para não! Já disse que me empolguei com os tutoriais carnavalescos, né?! Já rolou preview desse no Instagram na semana passada. Aliás, estão acompanhando a hashtag #CarnaStarving?! Tão rolando várias postagens por lá, incluindo as minhas montações para os blocos! 🎉 Bom, seguindo os DIYs de acessórios, desta vez eu fiz um porta cerveja!


A base é uma daquelas ‘camisinhas’ de isopor para cerveja (o pacote com 6 foi tipo R$12) e comprei vários apetrechos para customizá-la. Acabou sobrando material, então prometi fazer porta cerveja para todas as amigas, rs… Fiz a alça com fita de gorgurão grossa e, tirando as pedrinhas, grudei tudo com cola quente. Acho que o ideal para a alça seria uma cola mais forte porque só com cola quente ela não aguentou um latão de cerveja, só a latinha mesmo, rs… Mas fica a dica aí! ;)

Esta semana ainda entram mais 3 tutoriais, então fiquem de olho! 👀

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
fev 17, 2017 | Por Mandy em Dicas, Estilo, Looks, Tutoriais

DIY de Carnaval [5]: Óculos estrelado + cordinha!

Me empolguei tanto com os tutoriais de carnaval que resolvi fazer mais uma leva, mas agora só de acessórios! O primeiro, além de fácil de fazer, é uma ótima opção para quando não dá tempo de caprichar na make nos blocos durante o dia: um óculos estrelado, rs. ⭐️ 🌟

A cola-quente está se saindo a rainha deste carnaval! rs… Olha só como que com pouca coisa dá para conseguir um efeito bacana! Comprei uma cordinha de óculos comum e cortei na ponta para usar apenas a parte de plástico. Substituí por uma fita de paetês e ficou uma graça! As estrelas foram sobra do DIY da cabeça de constelação. Pra variar, comprei todo o material no Saara, incluindo o óculos, e tudo junto saiu em torno de R$15!

Ainda tem mais um DIY de cabeça, porta-cerveja e uma pochete customizada! Semana que vem entram no ar, a tempo da data oficial do carnaval! 😉

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
fev 17, 2017 | Por Mandy em Dicas, Estilo, Looks, Tendências

Meia arrastão?! Tá rolando sim, e muito!

Eu acabei me empolgando com os posts carnavalescos (tem mais!) e esqueci esse outro nos rascunhos. Desde quando comecei a escrever a tendência só cresceu e se comprovou como o acessório do momento. Sim, estou falando da meia arrastão!

Seja com saia, short, calça rasgada, com camisetão, com a parte de cima aparente, como blusa, meia soquete,… não importa, ela já tomou o Pinterest, o Instagram, as lojas e as ruas. Um acessório versátil, barato (tem aos montes agora em época de carnaval no Saara!) e que pode ser usado do verão ao inverno. Uma dica legal pro frio, é usar combinado com uma outra meia-calça comum por baixo. ;)

No preview da Renner tinha (até por cima da calça!), na Ziovara tem com trama média e grande (comprei as duas!), na Sri tem até macacão e no site Lingerie.com.br tem VÁRIOS modelos diferentes.

E só pra não dizer que eu não falei de carnaval, rs, uma das meias da Ziovara que eu comprei é pra fazer uma versão bordada inspirada nessas da Lirika Matoshi! Dá um efeito lindo!

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
fev 13, 2017 | Por Mandy em Beauté, Compras, Dicas, Estilo, Looks, Make

Guia de compras para o carnaval ✨ [parte 2]

Já perceberam que o clima carnavalesco tomou conta do blog, né?! rs… Há algumas semanas rolou o primeiro guia de compras para o carnaval, lembram?! Aqui vai mais uma leva de bodies e acessórios que podem ser usados praticamente durante o ano todo.

C&A | 787 Shirts | Rush Praia | Renner | @AlexiaHentsch
bodies Dafiti | tênis Dafiti | tênis Dafiti | pena Dafiti | brinco Dafiti 

 
tattoos Le Petit Pirate | protetor Ssolar com glitter Shock

Nas minhas andanças pelo Saara para fazer os tutoriais, encontrei essa loja que vende material de esmaltaria. São vários tipos de glitters diferentes, que eu nunca tinha visto nas outras lojas do Centro. É uma loja que vende flores artificiais e lá no fundo tem esse balcão com várias opções de purpurina (R$2,60 o saquinho pequeno e R$10 o grande) e ainda existem VÁRIOS tipos de pedrarias para decorar unhas que podem tranquilamente ser usados no rosto durante o carnaval.

Sempre me perguntam onde eu compro os meus glitters e paetês e a maioria é no Babado da Folia. Existem várias lojas deles, mas a da Rua da Constituição, 37 é onde vende glitter a granel. Você pode escolher o pote de glitter, levar no balcão e pedir para eles pesarem – o mínimo é 50 gramas, o que já é mais do que suficiente, rs…

Bazar Zy do Beco | Beco do Tesouro, Lj. 04 – Centro (entre a Av. Passos e a Gonçalves Ledo)

Ah, e na última passada que fiz por lá na sexta encontrei essa lojinha que vende essas pochetes/doleiras por R$4 no atacado (R$10 no varejo). Como estava com as minhas amigas, conseguimos comprar pelo valor mais em conta. Comprei a rosa e a cinza e a minha ideia é customizar uma delas. Vai ser um dos próximos DIYs que vêm por aí! 😉

Tô me empolgando com esses tutoriais e já programei mais uns 4. Vou tentar subir pelo menos dois antes do final de semana. Torçam aí pra eu conseguir! rs…

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
fev 09, 2017 | Por Mandy em Sobre o blog, Starving recomenda

Novos workshops em Março: Studio512 (RJ) e Escola Madre (SP)!

Quem acompanha o blog há um tempo sabe que por 4 anos eu morei em NY e durante meu último ano lá vivi a incrível experiência de poder dar aula em uma das faculdades de artes, moda e design mais bacanas dos EUA, a Pratt Institute.

Acabei descobrindo que amo compartilhar minhas experiências e o conhecimento que adquiri ao longo de mais de 7 anos trabalhando com design gráfico, produção de conteúdo, blogs e mídias sociais para marcas de moda. É basicamente tudo o que eu fiz até hoje reunido de forma bem prática e didática em palestras e workshops. Já fiz duas turmas no Studio512 e dei algumas palestras e oficinas para o Senac e Sebrae. Tudo com o objetivo de já sair das aulas e colocar a mão na massa, rs…

A novidade, ou melhor, aS novidadeS, é que mês que vem terão dois workshops, um no Rio e outro em São Paulo! Pela primeira vez vou levar meu curso pra lá e estou super animada, ainda mais por ser em um lugar tão incrível como a Escola Madre, que tem aulas com ninguém menos que Max Weber e Dudu Bertholini. Me senti orgulhosa de mim mesma estando ao lado de profissionais que admiro tanto, rs! 😄

Já falei em posts antigos, mas vale repetir um pouco sobre como funciona o workshop:

“O objetivo do workshop é ressaltar a importância das mídias sociais e dos blogs como canal de comunicação entre marcas e consumidores e entre pessoas e pessoas.

Não somente uma ferramenta de venda, as mídias sociais são locais de encontro para troca de ideias e experiências. O workshop pretende abordar temas essenciais para criar e manter seus próprios canais de comunicação de forma prática dada pela experiência vivencial e especializada da facilitadora Amanda Britto.

Engajamento, branding, identidade visual, técnicas de programação e de design gráfico serão alguns dos tópicos abordados no workshop.”

Conteúdo:
-Panorama: nicho, design, conteúdo
-Técnicas: SEO, WordPress, domínio (URL), edição de imagens
-Mídias Sociais: Pinterest, Twitter, Snapchat, Instagram (e Stories) e Facebook
-Monetização: As diferentes formas de monetização e o Mídia Kit

P.S.:: Não precisa necessariamente saber mexer em Photoshop, Illustrator, etc. Vou ensinar técnicas e alternativas que qualquer pessoa sem esse conhecimento vai conseguir aplicar! ;)

P.S.2:: O workshop também é direcionado para marcas, estudantes e profissionais interessados em mídias sociais e em como trabalhar com influenciadores.

Aproveitei e pedi um feedback para duas alunas que fizeram o curso:

“Achei o curso muito bom! Amanda deu todas as dicas necessárias, sem enrolação, num curso focado e prático de 2 dias para começarmos um blog profissional, desde a estratégia até a edição dos posts para que ficassem atrativos para os leitores, além de dicas de fotografia e tipos de matérias que chamam mais atenção! Já saí do curso animada e comecei o meu blog no dia seguinte!”, Yvi Maranho, do blog Eu, Nômade | primeira turma Studio 512

“Já seguia o Studio 512 nas redes sociais e sou leitora assídua do Starving há bastante tempo. Me identifico com o blog e, quando soube que a Amanda daria o workshop, não pensei duas vezes em fazê-lo. Até porque, no meu ponto de vista, nada melhor do que aprendermos com quem nos inspira. Antes de acabar o curso, disse que ela resgatou toda esperança e vontade de fazer com que meu próprio blog dê certo. Amanda nos mostrou pequenos detalhes que, certamente, farão a diferença nesse meu projeto. O workshop foi além do que eu esperava e, se hoje eu sei os passos que devo dar pra fazer acontecer, é graças a ela. E que acerto o de vocês, Studio 512!”, Vivyane Tenório, do blog Vivy Tenório | primeira turma Studio 512

“Eu acompanho o Starving desde os seus primórdios e, recentemente, tive vontade de colocar em prática o projeto de ter o meu blog. Quando vi a chamada do workshop com a Amanda no Studio 512 logo me interessei porque tinha tudo a ver com o meu momento. E, sinceramente, foi a melhor escolha que eu fiz! O curso superou minhas expectativas. Apesar da carga horária parecer pequena, eu aprendi muito (mais até do que muito curso extenso que fiz por aí). Aprendi técnicas que no mesmo dia estava colocando em prática, por exemplo. A Amanda tem didática e dicas preciosas. Torço e aguardo ansiosamente por um módulo 2!”, Bruna Smith, do blog Um Suspiro | segunda turma Studio 512

RJ | WORKSHOP STUDIO 512

DATA
10 e 11 de Março (sexta e sábado)

HORÁRIO
19h30 às 22h30 e 9h às 18h

No Studio 512, quem acompanha o blog tem 10% de desconto na inscrição (pagamento à vista, basta mandar email para contato@studio512.com.br) e para quem fechar grupo com mais de 5 pessoas o desconto pula pra 20%! Alunos da PUC, UFRJ e ESPM também têm desconto de 10%! Ah, e dá para parcelar em até 3x no cartão de crédito. 😉

Pra se inscrever, é só entrar >> aqui <<

SP | WORKSHOP ESCOLA MADRE

DATA
18 e 19 de Março (sábado e domingo)

HORÁRIO
10h30 às 18h30 e 10h30 às 13h30

Pra se inscrever, é só entrar >> aqui <<

Vai ser super bacana, estou empolgada e espero vocês lá! 😀

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
Página 1 de 9012345...Última »
Voltar para o topo!