ago 13, 2015 | Por Mandy em Celebridades, Destaques, Reflexão

BEN AFFLECK X JENNIFER GARNER X A BABÁ :: DE QUEM É A CULPA?

Taí um caso que tá gerando um bafafá danado: o divórcio de Ben Affleck e Jennifer Garner. O escândalo é por conta do grau de sujeira do episódio. Ben teria tido um caso com a babá de seus filhos, cujo nome não vem ao caso (não sou eu que vou ajudar a promover esta moça). Levou para passear no jatinho do Tom Brady e tudo. Parece que a coisa até respingou no Tom e na Gisele. Tremei Brasil! Um pavor mesmo.

Ben Affleck Jennifer Garner Baba Quem tem culpa

Muita gente está se rebelando contra a babá, o que é habitual. Estamos acostumados a culpar a mulher. Pessoalmente, acho que está claro que esta moça não tem a melhor das intenções e que está adorando sua súbita “fama“. É nítido que sempre teve aspirações do tipo. Não é à toa que fica tirando onda no seu instagram com mensagens do naipe “this girl is on fire“, trecho da música da Alicia Keys, ou exibindo seu novo estilo de vida com orgulho. Difícil julgar, mais difícil ainda não julgar, rs. Desculpa mundo, sou humana.

ben jen casal

Já eu sou partidária de que a culpa é do adúltero(a) sempre – apesar de não gostar dessa expressão, “culpa”. Quem traiu foi ele, certo? Quem quebrou os votos de confiança e fidelidade foi Ben Affleck, não? Ele é o maior responsável. Apesar disso, não julgo uma pessoa casada se apaixonar por outra. É trágico, mas acontece. Ninguém está imune. Só poderia ter sido mais honesto e transparente, né amigo? O que eu julgo mesmo é ele ter caído de amores por essa babá(ca), sobretudo tendo uma mulher como Jennifer Garner em casa. Não saberia dizer como era a vida conjugal, mas quem acompanha a história do casal deve ter lido algumas vezes sobre o suporte que ela deu durante suas maiores crises de dependência do álcool e do jogo (#tabloides). Não vejo o que ele viu nessa outra moça… Cara, que decepção. Já não bastava o Batman?

ben-affleck-jennifer-garner

Mas vou parar um minuto e questionar minhas próprias convicções. Será que esta babá não compartilha a tal culpa também? Eu sei que nossa cultura tende a nos colocar umas contra as outras, a competir, a nos julgarmos mutuamente. Busco sempre me conscientizar quanto à isso. Seria sim muito injusto chamar a babá de salafrária, como se o Ben Affleck fosse uma vítima irracional e incapaz. Tem muita gente convenientemente esquecendo a participação dele em tudo isso. No entanto, neste caso, será que a quebra de confiança não foi de ambas as partes? Você contrata uma pessoa, bota ela dentro da sua casa, cuidando e participando do dia-a-dia de sua família… Isso não estabelece um vínculo também? É no mínimo anti-ético e ingrato.

jennifeer garner

Acredito que podemos exercitar a crítica em nossos posicionamentos de ambos os lados da moeda. Não vale vilanizar a babá sozinha e também não vale isentá-la na tentativa de combater injustiças de gênero, porque acho que este é um caso delicado. O pivô não foi uma pessoa aleatória da boate, mas alguém do convívio do casal, da casa, das crianças.

jennifer garner elektra

Se vocês me permitem ser bem irracional e pouco imparcial, queria mesmo é que Ben acabasse sozinho, a babá no anonimato (certeza que seria seu pior pesadelo) e que Jen encontrasse um amor que soubesse o valor que ela tem. Um homem como o Matt Damon seria “dois coelhos” (ai que vingativa!). Vai ficar para outra vida, já que ele é casado e feliz assim…

Voltando à racionalidade, espero que Jennifer tenha força e que seus filhos sejam poupados desse escândalo.

Jennifer-Garner-Ben-Affleck-Traicao-baba

Quem perdeu nessa história?

O que acham?!

Beijos,
Gabi

Você também pode gostar
Comentários
  1. Lyanna • ago 13, 2015 - 14:33

    O maior debate hoje pela manhã. Vários julgamentos… claro, mas sabe que nesse caso – pelo menos até agora no meu círculo de convívio – foi unânime que a maior parcela de culpa foi do homens (Ben #fato, Tom #rumores). Na situação do ex-casal Ben e Jen existe a agravante de que é impossível isentar a babá(ca) de sua parcela de culpa, afinal de contar – ardilosamente (acredito que até premeditado) ela se jogou pra cima do chefe.
    No balanço das discussões o que não conseguimos entender é o que se passa na cabeça dos homens. Como alguém pode ter uma mulher fantástica em casa, rica, linda, companheira, uma FAMÍLIA, e jogar tudo pro alto por um final de semana ou algumas noites com uma idiota que só quer usá-los para a “fama”?! #Idiotas

  2. Aninha • ago 14, 2015 - 09:59

    Ontem qdo eu fiquei sabendo juro que tive a maior dificuldade em entender o pq do Tom Brady ter emprestado os tais dos anéis pra fulaninha… aí eu imaginei ele conversando com a esposa ubermodel: “Ah, Gi, a menina que o Ben estava pegando queria tirar umas fotos lá, maior tonta, e eu deixei…” hahahahaha mas enfim, concordo com vc, podemos nos apaixonar por qq pessoa, inclusive a errada – veja só. Podia ter sido transparente com ela sim, mas sinceramente, quem disse que ele não foi? É foda julgar sem saber nada, e colocar a Gardner num pedestal tb não acho certo (como a Grazi foi colocada aqui no Brasil tb)… na minha opinião, ele pode ter sido irracional (ou não, vai saber), tendo cedido às investidas dela e tem plena consciência que fez uma coisa errada sim, e caso quisesse realmente se separar, poderia ter feito isso de outra maneira. Mas isso não quer dizer que ele seja uma pessoa ruim, sabe? Pô, a gente erra, quem nunca errou? Ele pode ter sido meio burro, mas aí é outra história…
    E qdo vc não gosta, não adianta ela ser maravilhosa, vc simplesmente não ve graça… todo mundo já passou por isso na vida… eu não defendo ele não e nem gostaria que isso acontecesse comigo, mas pode acontecer, não me iludo…..

  3. pat • ago 14, 2015 - 12:39

    Pra mim a culpa é dos 2, igualmente. Se vc é comprometido, vc não trai seu parceiro(a) (a menos que a relação seja consensualmente aberta, mas aí já não é traição). Se vc sabe que alguém é comprometido, vc não se envolve com ele(a). Simples assim.
    Pq as pessoas tentam transformar em uma questão de gênero uma coisa que na verdade é só questão de caráter?

  4. ju • ago 14, 2015 - 14:15

    Desejar que a babá acabe no anonimato e que a Jeniffer saia por cima nessa história ( se vingando das “inimigas”) vem da cultura de disputa entre mulheres inserida na nossa sociedade machista
    (onde apenas o homem que está sendo disputado se beneficia e sai como o garanhão)!
    Sororidade e empatia sempre tanto pelo Jeniffer quanto pela babá!!

  5. May • ago 14, 2015 - 15:14

    Gabi, não poderia concordar mais com você! Também não quero dar ibope pra dita cuja, mas se tudo for verdade, gosto de lembrar do ditado “o que um não quer, dois não fazem”. Ele tem MEGA HIPER BLASTER culpa no cartório pela traição.

Voltar para o topo!