ago 10, 2018 | Por Mandy em Beauté, Dicas

Um novo vício: óleos faciais

Quem aqui é do time da pele mista e oleosa? Quem me acompanha sabe que volta e meia eu falo de produtos para este tipo de pele, que é a minha, no caso, rs… o/ Por isso, sempre morria de medo de usar óleos faciais. Achava que iam deixar minha pele mais oleosa ainda. Mas entendi que isso era um mito, de uns tempos pra cá, eu comecei a incluir essa prática na minha rotina de beleza e virou meu xodó! Eu to amando passar óleos de vários tipos. Para mim é um momento terapia, me besunto mesmo – tipo frango de padaria, haha! Quando entrei nesse mundo dos óleos e sérums percebi que têm muitas opções para vários tipos de problemas e peles. Separei nesse post os que eu ando usando e adorando!

Esse primeiro é da GLOSSIER e contém zinco, que é ótimo para quem tem pele mais oleosa. Foi um dos primeiros que eu comecei a usar. Comprei na loja (linda!) lá em NY no ano passado. O meu já esta no finalzinho e por acaso achei um que tem a mesma composição na The Ordinary (vou falar mais da marca em outro post <3). Junto com ele, uso um de Ácido Salicílico 2%, da mesma marca, que comecei a usar semana passada. Esse é mais indicado para pessoas que têm tendência a acne. Acabo usando quando vou ficar menstruada ou quando a pele não está muito boa.

Eu já queria há muito tempo testar os efeitos da Vitamina C, até que ganhei esse Sérum da DERMAGE e comecei a usar há umas 3 semanas. Ele tem uma textura mais espessa, mas mesmo assim seca bem rápido. Costumo passar antes do hidratante e da maquiagem. A Vitamina C é antioxidante e previne o envelhecimento biológico, muito maravilhoso! Essa minha é a “10”. Tem de mais concentrações, mas preferi começar pela mais “leve” e ir aumentando depois.

O Óleo de rosa mosqueta, 100% orgânico, prensado a frio, também é da The Ordinary (falei melhor dos benefícios desse óleo milagroso neste post) só uso à noite. Não dá para usar de dia, porque mancha a pele. Ele não é espesso, mas é um óleo mais pesado, mesmo assim não deixa a pele oleosa. A absorção é rápida e é possível ver diferença desde a primeira aplicação, no dia seguinte. A pele já acorda com outro viço, é impressionante. Quero ver o efeito a longo prazo, porque recebi feedbacks muito positivos nos stories!

O da Peter Thomas Roth é um super óleo a base de escaleno. Esta é uma molécula super hidratante, que já está naturalmente presente no nosso organismo, mas vai diminuindo a produção ao longo do tempo. A extração do escaleno é feita da cana de açúcar e o produto é composto 100% por essa substância. O objetivo deste óleo é hidratar, deixar a pele mais suave e atenuar as linhas de expressão. Ele não é aquele tipo de óleo que dá a sensação de engordurado, além de servir para todos os tipos de pele! Tá todo mundo falando de escaleno agora por causa do óleo da Biossance, marca gringa recém chegada aqui no Brasil. Mas, na verdade, esse óleo da Peter Thomas Roth eu comprei na Sephora lá fora há muito tempo e, justamente, por ter receio do uso de óleo na pele oleosa, deixei ele de lado. Resgatei e tenho usado ele alternando com os outros.

Esses óleos da KIEHL’S uso quando estou dormindo pouco. Faz muita diferença quando passo ele à noite, parece que dormi mais tempo! A pele fica com uma aparência mais descansada. O amarelinho é o Daily Reviving e contém um mix de óleos minerais como de gengibre, semente de girassol e Tamanu. Ele deixa a pele mais radiante e rejuvenescida, além de proteger contra poluição, fadiga e estresse. O azul é o Midnight Recovery, produto mais queridinho da marca, que passo duas gotinhas à noite e acordo com a pele maravilhosa. Êta, dupla maravilhosa!

O verde é o Drops of youth, que ganhei da The Body Shop. Ele cria uma barreira antipoluição e antioxidante. Eu costumo passar antes da maquiagem, quando vou ficar muito tempo na rua. Adoro essa linha da marca – o esfoliante é maravilhoso, tipo um peeling líquido! O outro é o Génifique da LANCÔME, que é um creme antienvelhecimento. Afinal, vou fazer trinta e dois daqui a duas semanas e essa preocupação começou a bater na porta, rs. Este é um sérum líquido bem levinho, muito bom para quem tem pele oleosa e quer começar a cuidar dos sinais da idade. Dizem que quem tem pele mais oleosa tem menos tendência a ter linhas e sinais de expressão, né (pelo menos isso, rs)? Mas isso não quer dizer que não devemos tratar dela – outro mito! Assim como passamos muito tempo achando que a pele oleosa não merecia tanta atenção na hidratação. Que engano, rs…

a

Vocês também estão nessa fase óleos e sérums?!

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
Comentários
  1. Camilla • ago 14, 2018 - 05:43

    Oi Mandy,

    Uma dúvida – eu sempre aprendi que óleos minerais não sao bons para a pele, justamente por serem feitos de silicone, vaselina, etc, cuja base é petróleo. E eles tem apareceia de hidratar a pele, mas na verdade ressacam.
    Mas no seu texto voce escreveu oléos minerais como o de gengibre, … ? Esses nãos seriam óleos vegetais, ou óleos essenciais?
    Talvez uma dermato possa ajudar :)

    • Mandy • ago 14, 2018 - 12:55

      Oi, Camilla! Sim, no caso seriam óleos naturais mesmo. Nem tinha pensado nessa questão de silicone, vaselina, etc., mas acho que esses não são à base desses ingredientes. Já marquei consulta com a minha dermato para tirar algumas dúvidas e vou levar essa pra ela! :) Sempre importante lembrar que a gente deve consultar um profissional, né?
      Beijos e obrigada!!

  2. […] – Um novo vício: óleos faciais! […]

  3. […] À noite resolvemos alternar com foco mais em produtos antiidade, então um dia é o trio Sérum de arginina, da The Ordinary, Sérum antiidade, da Lancôme, e depois gel creme Trilift, da Dermage, e sempre nessa ordem, do mais leve para o mais grosso. Para revezar, uso o óleo de Rosa Mosqueta, que já falei mais um pouco em outros posts (aqui e aqui). […]

Voltar para o topo!