mar 06, 2018 | Por Mandy em Reflexão, Saúde, Starving recomenda

Num caso de amor pelo coletor menstrual!

Tem 5 meses que eu parei de tomar pílula e comecei a usar o coletor menstrual como uma forma de conhecer melhor o meu corpo e poupá-lo dos danos que os anticoncepcionais orais causam, assim como os impactos negativos que os absorventes internos e externos trazem para nós e para o meio ambiente.

A ideia de usar o copinho já estava me martelando há um tempo, mas por achar que era uma “coisa de outro mundo” fui adiando, adiando… Nenhuma amiga minha tinha usado e não tinha lido muito a respeito ainda. Até que em uma dessas feiras coletivas de marcas independentes, conheci uma moça que vendia produtos naturais como pasta de dente, desodorante, shampoo e, entre outras coisas, coletor menstrual. Em um papo de menos de 10 minutos eu já fui convencida por ela e comprei meu coletor. Confesso que foi um mix de ansiedade e apreensão pela próxima menstruação, rs.

No início foi realmente diferente, como toda novidade que inserimos (nesse caso, literalmente, rs) na nossa vida. Não sei se foi sorte de iniciante, mas logo me acostumei. Nos primeiros dias usei junto a calcinha absorvente da Pantys, com medo de ter algum tipo de vazamento – o que é normal no início, já que pode demorar um tempo até acostumarmos a colocar o copinho da maneira correta. Aliás, existem algumas dobras para colocar o coletor, mas eu acho em “U” mais fácil e prático.

Como o coletor é feito de silicone, é super maleável. Depois de inserido ele expande dentro da vagina (faz tipo “PÁ!”- é engraçado), criando um vácuo que impede que ele se mova e que ocorram possíveis vazamentos – se acontecer ou tiver incomodando, provavelmente não foi colocado da maneira correta (devemos inserir na direção das costas, aka do c* mesmo, rs). A mulher que me vendeu me aconselhou a cortar um pouco o cabinho do copo. É realmente comprido e pode, em alguns casos, incomodar. Na verdade, eu nem uso o cabo para remover o copo. Como temos que tirar o vácuo para ele poder sair, o ideal é dar uma amassadinha na base do coletor para que o ar saia e a gente consiga puxá-lo. Falando assim parece ser algo complicado, mas juro que não é!

Pra mim, o melhor de tudo é a sensação de liberdade. Ela é gigantesca com o coletor! A única preocupação que eu tenho é de lembrar que estou com ele e que tenho que tirar e lavar a cada 12 horas (e esterilizar na água fervente depois de cada ciclo). Você realmente esquece que está menstruada!

No carnaval, no dia do Pérola da Guanabara em Paquetá, eu estava no meu dia de maior fluxo. Coloquei o coletor e a calcinha da Pantys junto só para garantir que nada desse errado. Fui pro Céu na Terra de manhã, no Pérola na hora do almoço e depois, à tarde, passei na casa de uma amiga para dar aquela recarregada para seguir a maratona e aproveitei para limpá-lo e colocá-lo novamente. Tudo certo, tudo lindo! Aliás, esse tem sido um combo ótimo: coletor e calcinha absorvente. Acabo usando os 2 juntos nessas situações tipo “fluxo intenso + carnaval” (acho que essa é mais uma preocupação de iniciante mesmo, porque você pode sair plantando bananeira de cabeça pra baixo que não vai vazar) ou uso a calcinha só no primeiro e no último dia da menstruação e o coletor nos demais.

Eu fiquei TÃO feliz e empolgada quando comecei a usar que tentei convencer várias amigas a darem uma chance também. Sabe quando você pensa: “como que eu vivi tanto tempo sem isso na minha vida?!”. Foi daquelas coisas maravilhosas que você faz por você mesma de tempos em tempos. Acho que por isso que resolvi escrever este post.

Mas é curioso pensar que somente de uns anos pra cá que começamos a realmente descobrir o que é um coletor e a considerá-lo uma opção real. Claro que muitas mulheres já usam há anos, mas nunca foi tão falado e, mesmo assim, ainda existe muita resistência. E você fica mais surpresa ainda quando descobre que ele foi inventado uma uma mulher ginecologista, Leona Chalmers, lá em 1937! Ela aperfeiçoou e patenteou a ideia, que vinha sendo estudada por outras pessoas desde 1867. Infelizmente, por causa da falta de matéria-prima depois da Segunda Guerra e com a dificuldade das mulheres aceitarem a ideia de introduzir um objeto em seus corpos na época, o produto não vingou e só lá pelos anos 2000 que ele começou a ser indicado por médicos, depois que a borracha foi substituída por silicone.

Bom, existem vários tipos e marcas diferentes. Eu estou usando o da InCiclo (tamanho B, para mulheres que ainda não tiveram filhos), que custa em média R$80. Pode parecer um investimento alto no início, mas fazendo os cálculos a longo prazo, é muito mais econômico e sustentável! Sem contar que não deixa cheiro, é muito mais higiênico e saudável, já que não estamos em contato com o nosso sangue na área externa – o sangue em contato com o oxigênio pode proliferar bactérias e causar infecções.

Além de tudo isso, a gente passa a ter uma outra relação com o nosso ciclo menstrual. Passamos a entender que o nosso sangue não é nojento e que menstruação não é esse problema que as propagandas de absorvente pregam. É tudo tão mais natural e prático. Ainda percebemos o quanto a gente realmente menstrua, já que os absorventes internos e externos tendem a expandir e aí parece que a gente sangra muito mais do que a realidade.

Tem outras marcas legais por aí. Além da InCiclo (que está com promoção de 2 por 1 pro Dia da Mulher!), descobri a Korui, que ainda tem um blog lindo e cheio de informação bacana! Eles também têm protetor de calcinha e absorvente reutilizável! O site Vai de Copinho também tem opções legais! Ainda existem os coletores descartáveis (vi esse da Prudence) que prometem ser possível ter relações sexuais enquanto estiver usando o coletor. Interessante, rs…

Vocês também amam? Ou tiveram experiências ruins? Alguém ainda tem receio?! Eu fiquei tão realizada com o coletor que resolvi compartilhar a minha satisfação porque amaria que outras mulheres pudessem se sentir tão livres assim também! rs… <3

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jul 21, 2016 | Por Mandy em Restaurantes, Rio de Janeiro, Saúde

#StarvingHealthyTips :: RECEITA DO RISOTO THAI E MOUSSE DE MARACUJÁ DO .ORG!

Na última terça-feira, fui em um evento do canal GNT no .ORG, restaurante natural-orgânico-vegetariano que fica na Barra, aqui no Rio. Muitas pessoas já tinham me recomendado e falado que era o melhor nesse quesito na cidade, mas ainda não conhecia, apesar de já ter falado dele nesse post. O restaurante é da fofa Tati Lund, que apresenta o Comida.Org no GNT. Fomos lá para um workshop e aprendemos duas receitas deliciosas: risoto thai e mousse de maracujá. Compartilhei tudo no meu Snapmandy-britto, segue lá!) e nunca tive tanto print quanto nessas receitas, sério! rs… Como achei que o interesse foi bem grande, resolvi compartilhar por aqui também!

gnt-org-programa-tati-lung-receita-saudavel-vegana-risoto-thai-organico-leite-de-coco-natural-mousse-maracuja-barra-tijuca

Fazendo o leite de côco pra usar no risoto thai

gnt-org-programa-tati-lung-receita-saudavel-vegana-risoto-thai-organico-leite-de-coco-natural-mousse-maracuja-barra-tijuca gnt-org-programa-tati-lung-receita-saudavel-vegana-risoto-thai-organico-leite-de-coco-natural-mousse-maracuja-barra-tijuca

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de óleo de coco
  • 1 colher de sopa de alho picado
  • 1 xícara de Brócolis em floretes
  • 1 xícara de cenoura em quadradinhos
  • 2 xícaras (chá) de arroz negro cozido
  • ½ xícara (chá) de quinoa cozida
  • 1 xícara (chá) de abacaxi em quadradinhos
  • ¼ xícara (chá) de manjericão picado
  • ½ xícara (chá) castanha de caju tostada
  • 2 pimentas dedo-de-moça
  • ¼ xícara (chá) de folhas de coentro
  • ¼ xícara (chá) de brotos (feijão, alfafa…)
  • Raspa e suco de 1 limão
    a

Para o leite de coco com capim limão e gengibre

  • 2 xícaras (chá) de coco seco ralado
  • 1 punhado de capim limão
  • 4 fatias de gengibre
  • 1 xícara (chá) de água

>> link para ver a receita no site do GNT <<

gnt-org-programa-tati-lung-receita-saudavel-vegana-risoto-thai-organico-leite-de-coco-natural-mousse-maracuja-barra-tijuca

gnt-org-programa-tati-lung-receita-saudavel-vegana-risoto-thai-organico-leite-de-coco-natural-mousse-maracuja-barra-tijuca

Ingredientes

Para o mousse de maracujá:

  • 1 xícara (chá) de castanha de caju crua (deixe de molho por 8h)
  • ¼ xícara (chá) de melado
  • ¼ xícara (chá) de óleo de coco
  • ½ xícara (chá) da polpa fresca do maracujá
  • ¼ xícara (chá) de água

Para o mousse de frutas vermelhas:

  • 1 xícara (chá) de castanha de caju crua (deixe de molho por 8h)
  • ¼ xícara (chá) de melado
  • ¼ xícara (chá) de óleo de coco
  • 2 xícara (chá) de frutas vermelhas (amora, morango, framboesa)
  • ¼ xícara (chá) de água

>> link para ver a receita no site do GNT <<

gnt-org-programa-tati-lung-receita-saudavel-vegana-risoto-thai-organico-leite-de-coco-natural-mousse-maracuja-barra-tijuca

O tempero da Tati é incrível! É claro que repeti o prato e comi as duas mousses, rs… Quero fazer as duas receitas em casa e voltar no .ORG em breve pra conhecer mais do trabalho dela ao vivo. Além de tudo ser pensado com todo o cuidado e carinho, todos os ingredientes são orgânicos e frescos, compramos no mesmo dia – por isso que o cardápio muda diariamente.

.ORG Bistrô
Av. Olegário Maciel, 175 – Loja G – Barra da Tijuca

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
mar 31, 2016 | Por Mandy em Beauté, Destaques, Dicas, Saúde

NÃO USE A CINTA DAS KARDASHIANS!

Que o “klã” das Kardashians dita moda, isso a gente já sabe. Elas são, possivelmente, responsáveis pela maioria das febres que rondam as esferas da moda e beleza. Mas se tem uma “tendência” prejudicial, essa é a do waist training, ou seja, aqueles corpetes modeladores que espremem todas as gorduras que elas não têm.

cinta-kardashians-wais-training-nao-use-saude-cintura

cinta-kardashians-wais-training-nao-use-saude-cintura

Mas essa moda não é de hoje. Desde o século XVI que as mulheres usavam corpetes, normalmente reforçados com osso de baleia ou metal. Eles funcionavam como modeladores de cintura e suporte para as mamas, mas as mulheres também usavam para serem consideradas atraentes e respeitáveis (?!). Era uma forma de criar a ilusão de ótica de uma silhueta mais curvilínea, fazendo a cintura parecer mais fina, o quadril mais largo e os peitos maiores. Lá no fim do século XIX e início do século XX, mulheres de todas as classes sociais usavam corpetes de borracha e começaram a priorizar exercícios físicos e dietas para melhorar a aparência física.

Dá um ffw aí e pula para a era das mídias sociais, onde mais de um milhão de fotos com a hashtag #waisttraining já foram compartilhadas no Instagram, inclusive por milhares de adolescentes.

cinta-kardashians-wais-training-nao-use-saude-cintura

Veja bem, elas não são uma Spanx, que usamos uma vez ou outra por baixo daquele vestido mais justo quando vamos em uma festa. Elas apertam MESMO. É só olhar as cinturas irreais das irmãs Kardashian-Jenner.

Já vi, inclusive, várias meninas brasileiras interessadas nas tais cintas, mas sempre achei que elas não deviam fazer muito bem para a saúde. E, na real, nem fazem mesmo. Estudos já comprovaram que mulheres que usam esses corpetes super apertados, muitas vezes alguns números menores do que o recomendado, podem ter fígado e os rins esmagados e costelas pressionando órgãos digestivos. A constante compressão pode causar vários problemas. Quando órgãos internos são deslocados, as consequências podem ser desconfortáveis e causar gases, azia e, ao longo do tempo, doenças como úlceras do estômago e esofagite. Além disso, a compressão sobre os pulmões dificulta a respiração e, com as horas de uso, pode causar tontura, vertigem, náuseas e desmaios! 😳 Ainda tem gente que segue dietas super restritivas enquanto está usando o corpete, pois como ele aperta bem, a sensação de saciedade chega mais rápido.

Isso tudo sem contar os danos psicológicos que essa “tendência” pode causar, ainda mais na cabeça de meninas tão novas, que ainda estão passando por fases de mudança com o corpo e construindo sua autoestima. O uso constante dessas cintas funciona como um martelo na mente dessas adolescentes, “lembrando” o tempo todo que tem algo de “errado” com o corpo delas. Isso pode ser bem destrutivo, ainda mais porque é exatamente nessa fase da vida onde as chances de distúrbios alimentares são maiores. Lembram que a cinta ainda faz com que a pessoa não consiga comer normalmente? Pois é…

Então, antes de pensar em comprar um produto desse tipo, lembre-se que ninguém precisa se punir ou sofrer para alcançar um biotipo X, Y, Z (ou K ou J). Um biotipo que, muitas vezes, nunca funcionaria para a nossa estrutura corporal. Vamos tentar criar uma relação sadia e amigável com o nosso corpo e descobrir maneiras divertidas e saudáveis de implementar mudanças reais. Geralmente, essas mudanças funcionam muito melhor a longo prazo. Nosso corpo e mente agradecem! :)

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
mar 16, 2016 | Por Mandy em Restaurantes, Rio de Janeiro, Saúde

#StarvingRioTips :: NATURALIE BISTRO

banner-rio

Finalmente risquei da lista mais um restaurante saudável que queria conhecer. Já tinha falado do Naturalie Bistrô nesse post, mas não conhecia pessoalmente ainda. Fui lá ontem e tive uma experiência bem positiva!

Naturalie-Bistro-botafogo-restaurante-rio-de-janeiro-natural-saudavel-vegetariano-vegano

Naturalie-Bistro-botafogo-restaurante-rio-de-janeiro-natural-saudavel-vegetariano-vegano

Naturalie-Bistro-botafogo-restaurante-rio-de-janeiro-natural-saudavel-vegetariano-vegano

Naturalie-Bistro-botafogo-restaurante-rio-de-janeiro-natural-saudavel-vegetariano-vegano

O ambiente é lindo, uma graça mesmo! Pena que as fotos não fazem justiça, rs… O restaurante fica em uma casa de dois andares em Botafogo e cada detalhe da decoração chama atenção. Parece que foi tudo pensado com muito carinho. Fico cada vez mais feliz de ver que meu bairro está se tornando um pólo gastronômico e tanto. #BotaSoHo

Naturalie-Bistro-botafogo-restaurante-rio-de-janeiro-natural-saudavel-vegetariano-vegano

Bom, mas vamos falar da comida?! O Naturalie Bistrô é um restaurante de comida natural, saudável e sustentável e usa produtos orgânicos e integrais. Tem pratos vegetarianos, veganos, sem glútem e sem lactose.

Já tinha lido comentários positivos e negativos sobre o restaurante, mas a minha experiência foi SUPER aprovada, mesmo. Eu e a Samara, minha amiga linda, pedimos um Carpaccio de Abobrinha de entrada (ótimo!) e nós duas fomos no Salpicão Vegano (de tofu com grão de bico) de prato principal. Nossa, estava sensacional! Deu até fome pensando nele agora, rs… E achei esse prato muito bem servido. Fiquei bem satisfeita, para não dizer entupida, depois de comer. Ah, pedi também o suco “alcalino”, com limão, água de coco, capim limão e mel, maravilhoso!

Como era aniversário da Samara, ela ganhou um bolo de cenoura de cortesia. Imaginávamos que viria um pedaço pequeno, tipo um quadradinho, só que devia ter uns 20cm de diâmetro (juro! pena que não tirei foto – a vontade de comer era maior, rs). Estava sensacional. Nem acreditamos que não tinha leite (só cenoura, açúcar mascavo, óleo de cocô, farinha de arroz e essência de baunilha). Resultado, saímos de lá super satisfeitas e com vontade de voltar outro dia para experimentar mais pratos. Fiquei de olho na feijoada! :9

Alguém aí já foi?!

Rua Visconde de Caravelas, 11 | Botafogo

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
fev 23, 2016 | Por Mandy em Destaques, Saúde, Starving recomenda

8 DOCUMENTÁRIOS SOBRE ALIMENTAÇÃO PARA ASSISTIR NO NETFLIX

Tem um tempo que não faço post sobre alimentação saudável, né?! Desde que mudei me hábitos comecei a me interessar mais sobre o assunto e a assistir documentários bacanas no Netflix. Então, vou compartilhar os que eu já vi e os que estão na minha lista de espera.

documentario-netflix-alimentacao-saude-saudavel-filme-dica

• Cowspiracy | O segredo da sustentabilidade: É um dos mais conhecidos e tem ninguém menos que Leonardo DiCaprio como produtor executivo. Desses todos acima foi o que mais me impactou. Terminei o filme meio zonza até. O filme fala sobre como a indústria agropecuária é a principal causa da grande maioria dos problemas ambientais do planeta e porque isso é completamente ignorado. Tem várias referências ao Brasil, já que temos o maior rebanho comercial do mundo.  Trailer

• Fed Up: Fala sobre a questão do consumo exagerado de açúcar e, consequentemente, a epidemia da obesidade mundial. 95% dos americanos estarão obesos em 20 anos e 80% dos 600 mil alimentos diferentes à venda nos EUA contém açúcares escondidos. As grandes empresas “escondem” doses altas de açúcar em alimentos processados e quem mais sobre com isso são as crianças, que são constantemente bombardeadas por comerciais de fast-food e que crescem com péssimos hábitos alimentares incentivados até mesmo na escola. Aliás, nos EUA, muitas escolas, para economizar, passaram a terceirizar o serviço e a aceitar redes de fast-food. Agora me diz, que criança optaria por uma refeição saudável tendo pizza, hambúrguer e refrigerante à disposição todos os dias?! É surreal… O filme ainda fala sobre a questão do governo não ser rigoroso com as indústrias alimentícias. A posição é apenas incentivar o exercício ao invés de mudar os hábitos alimentares, porque né… é mais fácil e menos comprometedor. Vale a pena assistir!  Trailer

documentario-netflix-alimentacao-saude-saudavel-filme-dica

• Food Matters: Ou, “o alimento é importante”. O documentário fala sobre como os alimentos são essenciais para ajudarem ou prejudicarem diretamente a nossa saúde. Pode ser um pouco exagerado, mas eles falam que todos os nossos problemas de saúde são causados por má alimentação e alimentos geneticamente modificados, cheios de agrotóxicos, plantados em solo impróprio, etc. e de como a indústria farmacêutica não é a solução ideal, pelo contrário. O filme confronta a medicina tradicional com a ortomolecular, que é baseada na nutrição. Mostra o quão equivocada está a nossa maneira de tratar as doenças (câncer, depressão e outras doenças crônicas, por exemplo). Além disso, fala sobre a importância das vitaminas e dos superalimentos na alimentação e como as doenças do planeta poderiam ser drasticamente eliminadas com uma dieta natural e rica em nutrientes e vitaminas.  Trailer

• GMO OMG: Passei a valorizar ainda mais os alimentos orgânicos depois desse filme. Não é sempre que consigo comprar, mas tento dar preferência quando posso. Bom, o diretor Jeremy Seifert iniciou uma jornada em busca de alimentos que não sejam geneticamente modificados (GMO = genetically modified organism) impulsionado pelo grande interesse que seu pequeno filho tem por sementes.  A investigação é difícil, já que grande parte da comida consumida nos EUA tem dedo da Monsanto, multinacional especializada em biotecnologia e produção de agrotóxicos e que está prejudicando o ecossistema do nosso planeta. Trailer

• Fat, Sick & Nearly Dead: Joe Cross era uma daquelas pessoas que trabalhava muito, se alimentava super mal e, consequentemente, tinha diversos problemas de saúde por causa disso. Aí, um belo dia, ele resolveu mudar de vida e adotou uma dieta líquida apenas com sucos feitos de legumes e frutas orgânicas durante 60 dias! É claro que teve todo um acompanhamento médico durante o processo e foi uma baita de uma transformação. Apesar de achar bem exagerado uma pessoa ficar dois meses em juice fast, consumindo apenas suco detox, é interessante ver problemas como pressão alta, colesterol, diabetes e outras doenças relacionadas ao estilo de vida fast-food desaparecerem sem ajuda de medicamentos. Já tem a versão 2, mas não vi ainda.  Trailer

documentario-netflix-alimentacao-saude-saudavel-filme-dica

• Cooked: Esse é um documentário do próprio Netflix que estreou no último dia 19 e fala sobre a importância de mantermos a tradição de cozinharmos a nossa própria comida e, consequentemente, evitarmos os industrializados. É dividido em 4 episódios: fogo, água, ar e terra. Trailer 

• Milk?: Existem muitas controvérsias sobre o leite, né?! Já aprendi algumas com a Raíssa, minha nutri maravilhosa, e vendo alguns dos docs acima, mas fiquei bem interessada em ver esse documentário que analisa o valor nutricional do leite. “Será que é mesmo bom para nós?”. Trailer

• TED talks | Mastigue Isso: Uma série de Ted Talks com padeiros profissionais, cientistas alimentares, chefs, fazendeiros e gourmets falando várias verdades sobre os alimentos. Já assisti esse com o Jamie Oliver sobre obesidade infantil, mas quero ver os outros.

Alguma recomendação!? Aceito dicas! :)

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
jan 17, 2016 | Por Mandy em Restaurantes, Rio de Janeiro, Saúde

#StarvingRioTips :: DELIVERY SER ORGÂNICO!

banner-rio

Já falei algumas vezes sobre restaurantes saudáveis e orgânicos no Rio. Ainda bem que cada vez mais temos opções bacanas surgindo. Essa semana recebi em casa o delivery do Ser Orgânico, que é super recente e entrega no Centro do Rio. Ótima opção para quem quer fugir do self-service de sempre, rs…

ser-organico-saudavel-restaurante-centro-deivery-entrega-rio-de-janeiro

ser-organico-saudavel-restaurante-centro-deivery-entrega-rio-de-janeiroPeito de frango com batatas rústicas e legumes salteados, Risoto de pupunha com berinjela e tomate, Escalopinho de alcatra Korin com purê de cenoura com espinafre


a
Eu gostei muito de tudo! Só não comi o escalopinho pois parei de comer carne vermelha há uns meses, mas quem provou me garantiu que estava maravilhoso, rs. Aliás, tudo super bem temperado – o que faz a diferença quando falamos em pratos mais saudáveis. Já comi em alguns restaurantes em que a comida não tinha muito gosto. Este não é o caso aqui.
a
Todos os ingredientes vêm de parceiros locais, como o Circuito de Feiras Orgânicas do Rio (já até falei aqui). O cardápio muda de acordo com os produtos disponíveis em cada estação. Tem também o cardápio do dia, que eles postam frequentemente no Instagram. Achei legal que as entregas podem ser agendadas com antecedência, então chega tudo quentinho bem na hora do seu almoço. Estou torcendo para que eles comecem a entregar em Botafogo logo! rs… Pode vir, tá?!

Ser Orgânico | delivery no Centro do Rio
📞 (21) 2242-8850 📲 (21) 96477-1120
Take Away: Rua da Lapa, 120/Loja C
www.serorganico.org

Beijos,
Mandy

assessoria

Você também pode gostar
jan 15, 2016 | Por Mandy em Destaques, Por Aí, Saúde, StarvingTV

NY :: VLOG – COMPRAS SAUDÁVEIS NO WHOLE FOODS!

banner_ny

Estou a tanto, mas tanto tempo pra postar esse vídeo aqui! rs… Na verdade, eu perdi um dos cartões de memória com a introdução e ainda estava com esperança de encontrá-lo pra poder postar o vídeo inteiro. Mas, como isso não aconteceu, editei sem a primeira parte mesmo. Pelo menos 95% ficou salvo! rs…

Bom, quando estive em NY em Setembro do ano passado aproveitei que a Raíssa, minha nutricionista maravilhosa que já virou amiga, também estava por lá para gravarmos um vídeo no Whole Foods, aquele mercado americano cheio de produtos saudáveis.

Fuxicamos um monte de coisa, desvendamos rótulos, tirei muitas dúvidas sobre alimentação saudável e fomos até na parte de beleza do Whole Foods. Tem várias dicas no vídeo! Espero que vocês gostem! :)


Se inscreva no nosso canal aqui!

A Raíssa atende lá na Clínica Patrícia Davidson e quem me acompanha sabe que eu já perdi alguns bons quilos com ela. Mais do que emagrecer, fui em busca de uma alimentação saudável, que mudou completamente o meu estilo de vida. Agora tem até hashtag #StarvingHealthyTips no Instagram, já viram?! :)

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
set 27, 2015 | Por Mandy em Restaurantes, Rio de Janeiro, Saúde

#StarvingRioTips :: SANDUBEM, O FAST-FOOD FUNCIONAL!

banner-rio

A dica do Rio de hoje não é, na verdade, de um restaurante, mas de um delivery que descobri há pouco tempo. Minha nutricionista, a Dra. Raissa Fernandes, me indicou o Sandubem, uma entrega de fast-food funcional!

Vocês lembram que eu contei aqui sobre o exame de food detective que eu fiz e deu intolerância à glúten e caseína (proteína do leite de vaca)? Então acho o máximo quando descubro alternativas que se encaixam nesse meu novo plano alimentar. E quando são saudáveis & gostosos?!

A Sandubem tem opções sem glúten, sem leite e vegetarianas. Fui em uma indicação da Raíssa, que é o hambúrguer de quinoa com maionese de painço e batata frita “fake” (batata doce assada) e adorei!

sandubem-delivery-comida-hamburguer-fast-food-saudavel-sem-gluten-lactose-rio-de-janeiro-dica-restaurante-sanduiche

No cardápio ainda tem: hambúrguer de carne bovina com onion cream, hambúrguer de frango com cebola caramelada no teriyaki, hambúrguer de carne bovina com shimeji na manteiga ghee, opção de montar o hambúrguer como quiser e ainda trocar pelo pão integral low carb (feito com farinha de amêndoas e pouco carboidrato). Para a sobremesa, o petit gateau é bem bom! É feito com chocolate belga 70% cacau e não é feito com açúcar refinado! ;)

A Sandubem entrega:

• Zona Sul (Flamengo, Catete, Glória, Lapa, Laranjeiras, Botafogo, Humaitá, Leme e Copacabana): 21 3439-5825

• Zona Oeste (Freguesia, Merck, Pechincha, Tanque e Taquara): 21 2084-2523

Gostaram?

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
ago 28, 2015 | Por Mandy em Destaques, Saúde

3 RECEITAS SAUDÁVEIS QUE FAÇO SEMPRE!

Como comentei na semana passada, já tem um tempo que mudei meus hábitos alimentares e passei a cozinhar bem mais. Quem me acompanha no Snapchatmandy-britto) vê que sempre posto minhas comidinhas por lá – e toda vez vem gente me pedir as receitas. Então, resolvi fotografar algumas das coisas que mais costumo fazer. Lembrando, são receitas que não levam leite nem glúten. ;) São fáceis, vamos lá:

receita-blog-fit-saudavel-cha-hibisco-macarrao-abobrinha-cenoura-como-fazer-pao-de-queijo-de-mandioquinha-batata-baroa-sem-gluten-lactose-leite

receita-blog-fit-saudavel-cha-hibisco-macarrao-abobrinha-cenoura-como-fazer-pao-de-queijo-de-mandioquinha-batata-baroa-sem-gluten-lactose-leite

receita-blog-fit-saudavel-cha-hibisco-macarrao-abobrinha-cenoura-como-fazer-pao-de-queijo-de-mandioquinha-batata-baroa-sem-gluten-lactose-leite

receita-blog-fit-saudavel-cha-hibisco-macarrao-abobrinha-cenoura-como-fazer-pao-de-queijo-de-mandioquinha-batata-baroa-sem-gluten-lactose-leite

MACARRÃO DE ABOBRINHA & CENOURA :: Faço essa receita pelo menos uma vez por semana. Tinha comprado aquele cortador redondo na Amazon, mas quebrou na primeira vez que usei, rs. Não sei se fiz algo errado, mas não achei tão simples, tive que fazer força e ainda sobra um cotoco de alimento no final. Prefiro mil vezes esse cortador comum, bem mais prático. Vende em qualquer loja de utensílios pra casa.

Ingredientes
• 1 cenoura grande (no caso usei uma média e uma pequena, rs)
• 1 abobrinha
• 1 colher de sopa de azeite
• sal (marinho ou rosa) a gosto

Modo de preparo
• Tem gente que refoga com manteiga, eu prefiro cozinhar por 3/4 minutos na água fervente com azeite (tipo miojo, rs).
• Depois é só escorrer a água e colocar um molho ou acompanhamento de sua preferência (cogumelo, temperos, etc.). Esse dia eu fiz um molho de requeijão de soja e um mix de grãos. Só que depois descobri que esse requeijão nem era tão saudável assim, rs… então agora faço com molho de tomate caseiro, fica ótimo! Dá para colocar frango desfiado também, que nem fiz aqui. Ainda botei um pouco de granola salgada por cima, ficou muito bom! :9

receita-blog-fit-saudavel-cha-hibisco-macarrao-abobrinha-cenoura-como-fazer-pao-de-queijo-de-mandioquinha-batata-baroa-sem-gluten-lactose-leite

receita-blog-fit-saudavel-cha-hibisco-macarrao-abobrinha-cenoura-como-fazer-pao-de-queijo-de-mandioquinha-batata-baroa-sem-gluten-lactose-leite

CHÁ DE HIBISCO :: Essa receita é da minha nutri, Raíssa Fernandes, e eu tomo todo dia. Já adorava chá de hibisco, mas agora faço ele de outra forma, com outros ingredientes junto. Além de termogênico, que acelera o metabolismo, o chá regula o intestino, é diurético e ajuda a reduzir o colesterol.

Ingredientes
• um litro de água
• duas colheres de sopa de hibisco
• uma colher de sopa de cavalinha
• uma colher de sopa de centelha asiática
• 1 canela em pau
• gengibre

Modo de preparo
O chá deve ser feito por infusão, então esquente um pouco de água até que se formem bolinhas e, nesse ponto, desligue o fogo (antes de levantar fervura). Aí, adicione os ingredientes, cubra a panela e deixe descansar de 5 a 10 minutos. Eu prefiro o chá gelado, então espero esfriar naturalmente e coloco na geladeira. Lembrando que não é recomendado tomar adocicado pois o adoçante pode atrapalhar a absorção dos nutrientes do chá pelo organismo.

receita-blog-fit-saudavel-cha-hibisco-macarrao-abobrinha-cenoura-como-fazer-pao-de-queijo-de-mandioquinha-batata-baroa-sem-gluten-lactose-leite

receita-blog-fit-saudavel-cha-hibisco-macarrao-abobrinha-cenoura-como-fazer-pao-de-queijo-de-mandioquinha-batata-baroa-sem-gluten-lactose-leite

PÃO DE “QUEIJO ” DE MANDIOQUINHA :: Amo! É impressionante como tem gosto de pão de queijo, mesmo sem ter queijo, rs. Essa receita é da Bela Gil. Já testei outras receitas dela que não ficaram tão boas, mas essa eu adoro!

Ingredientes
• 200g de polvilho azedo
• 300g de polvilho doce
• 150ml de azeite de oliva
• 500g de mandioquinha (cozida e espremida)
• 1/3 de xícara de água
• 1 colher (chá) de sal marinho – achei pouco, colocaria 2 colheres de chá (usei sal rosa)
• pode colocar também chia, alecrim, ou outros temperos… eu botei os dois

Modo de preparo
• Misture o polvilho doce, o azedo, sal, ervas e óleo em uma tigela grande.
• Acrescente o purê de mandioquinha e, aos poucos, vá adicionando a água. Misture a massa até ficar homogênea.
• Faça os pães do tamanho e formato que desejar.
• Preaqueça o forno (10 minutos) a 180ºC.
• Sem untar a forma, coloque os pães em uma assadeira e deixe no forno por 20 a 25 minutos, dependendo do forno. Se necessário, após estes 20 minutos, aumente um pouco o forno (por volta dos 205 C) para dourar um pouco, por cerca de 15 minutos.

Tenho várias receitas pra testar ainda. Aliás, quem tiver dicas vou agradecer muito! rs… Quem sabe esse tipo de post não acontece com mais frequência?! :)

Gostaram?

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
ago 21, 2015 | Por Mandy em Beauté, Destaques, Saúde

SOBRE CRIAR HÁBITOS SAUDÁVEIS

Lá em Maio eu contei que mudei minha alimentação, lembram? Tinha acabado de começar a fazer meu acompanhamento nutricional na Clínica da Patrícia Davidson com a Raíssa Fernandes, minha nutricionista maravilhosa.

Bom, de lá pra cá 3 meses se passaram e eu emagreci 7,5kg! Sem pressa, sem contar calorias e com algumas viagens no meio do caminho. Mas não foi só isso que mudou. Na verdade, mais do que emagrecer, eu busquei uma vida mais saudável.

Estava sedentária há muitos anos, mesmo com academia de graça dentro do meu prédio lá em NY. Eu me sabotava e arranjava mil motivos para justificar não ter tempo de ir malhar. E, apesar de sempre ter achado que tinha uma boa alimentação porque sempre gostei de legumes, verduras, etc., estava sentindo que meu corpo precisava de mudanças (não só físicas, claro).

saude-fitness-motivacao-alimentacao-exercicio-blog-dica-clinica-patricia-davidson-ballet-fitness-exercicio-body-tech-quote-frase

Além dos motivos acima, sempre me considerei uma pessoa preguiçosa. Muito preguiçosa, diga-se de passagem. Adorava a ideia de cozinhar minha própria comida, mas só na teoria. Os congelados ~lights~ processados do mercado americano eram muito mais tentadores e fáceis, claro.

Não vou mentir, a parte da alimentação não foi TÃO difícil assim para mim. Sou uma pessoa que gosta de comer de tudo e fui criada levando cenoura de merenda pra escola (amava!). O mais difícil foi começar a criar uma rotina e re-inserir o exercício na minha vida. Mas depois que essa rotina começa, acaba virando costume.

Algumas pessoas falam às vezes: “nossa, tem que ter muita força de vontade de sair e não comer sobremesa” ou coisas do tipo. Mas depois de um tempo você nem sente falta ou vontade. Eu não sinto, pelo menos.

É claro que algumas vezes a vontade bate mas, como tudo na vida, tem que ter um equilíbrio. Fazendo o exame de Food Detective na Clínica da Patrícia, descobri que tenho intolerância à proteína do leite (caseína), glúten, milho e fermento/leveduras (ou seja, nada de vinho e cerveja). Minha alimentação mudou ainda mais depois disso e o mais difícil foi ter que cortar cerveja, que eu AMO. Estava há uns 2 meses sem beber, mas liberei no meu aniversário no último sábado. Algumas escapadas fazem parte e são até necessárias em alguns momentos, mas aí vem o tal do equilíbrio novamente. No dia seguinte já tinha voltado pra minha alimentação normal.

Acho que quando você se compromete com uma alimentação mais saudável você começa a enxergar as coisas de outra forma. Olho pros alimentos pensando nos benefícios que eles vão trazer pro meu corpo. E esse olhar diferente me dá ainda mais vontade de pensar na minha própria comida, de pesquisar ingredientes, receitas, de colocar a mão na massa (sem glúten, rs) e cozinhar. Vira um prazer maior do que apenas o ato de comer.

E é impressionante… depois de um tempo, até a minha rinite alérgica, que sempre foi terrível, melhorou muito! Não me lembro da última vez que tive uma crise. Além, claro, da disposição, que melhora muito.

saude-fitness-motivacao-alimentacao-exercicio-blog-dica-clinica-patricia-davidson-ballet-fitness-exercicio-body-tech-quote-frase

E sobre fazer exercício, eu acabei abandonando a ideia tradicional de academia porque eu sei que aquilo não é pra mim. Odeio o clima exibicionista de academia, revezamento de aparelhos e o tédio que é correr na esteira contando os intermináveis minutos pra acabar. Gosto de exercícios mais dinâmicos, então fui em busca deles. Comecei a fazer Ballet Fitness e Suspension Workout (que mistura um pouco de Cross Fit também) e estou amando! Por incrível que pareça, principalmente pra mim, vou pra Body Tech feliz que vou suar que nem uma doida e ficar toda dolorida no dia seguinte, rs.

Quando eu converso com alguém sobre essas mudanças na minha rotina, sempre falo: se eu, que sempre fui super/hiper/ultra preguiçosa consegui criar esses hábitos e encontrar prazer nisso tudo, qualquer pessoa consegue! rs…

Gostaram?

Beijos,
Mandy

Você também pode gostar
Voltar para o topo!